Existem muitos dados por aí e a cada dia mais e mais são criados. Um monte de recursos são necessários para mantê-los e assegurar-se que você e todos os outros tenham acesso quando desejado, com o mínimo de indisponibilidade possível. Naturalmente, isso requer muita energia, mas o New York Times deu uma olhada em quanto exatamente. É uma quantidade ridiculamente grande.

Do Times:

“A maioria dos data centers, como projetados, consome  vastas quantidades de energia de maneira incongruente, com muito desperdício, demonstram entrevistas e documentos. Empresas online geralmente tocam suas instalações a capacidade máxima o tempo todo, independentemente da demanda. Como resultado, os data centers desperdiçam 90% ou mais da eletricidade usada, descobriu o Times.”

Desperdiçar 90% de qualquer coisa já é incrivelmente ineficiente, mas só piora quando você considera quanto de eletricidade esses data centers estão realmente gastando. Em muitos casos, é mais do que uma cidade de meio porte. Isso por data center, e nós temos alguns deles.

Existem formas de fazer isso melhor, mas também há obstáculos para implementá-las. O principal, que data centers são notoriamente secretos; não apenas seus locais costumam ser sigilosos, mas o hardware pode ser proprietário. Além disso, quando o uptime é a maior prioridade, correr riscos em qualquer novidade é desestimulado. Claro, talvez essa coisa nova melhore a eficiência energética, mas ela também pode quebrar tudo.

Na medida que o mundo gere mais e mais dados e os dados continuem a migrar para a nuvem, a eficiência de data centers tende a se tornar um problema maior e maior. Você pode ler mais sobre os detalhes disso no link ao lado (em inglês). [The New York Times]