Você já esteve aqui. Já leu esse artigo antes. Todas as palavras parecem familiares. Até mesmo a sala em que você está parece o mesmo lugar de antes. Você sabe exatamente o que acontece depois.

Na verdade, não – você só acha que sabe. Pesquisadores da Universidade do Estado do Colorado foram a fundo no sentimento de premonição que geralmente acompanha o déjà vu. Com experimentos de laboratório que tentavam induzir a sensação, os cientistas registraram se os participantes realmente sabiam o que aconteceria depois.

O LSD pode bagunçar os centros de linguagem do seu cérebro
Cientistas enviam mensagem de um cérebro para outro a 7.000 km de distância

E, no final das contas, déjà vu não te dá a habilidade de prever o futuro.

“Os resultados sugerem que os sentimentos de premonição durante o déjà vu acontecem e podem ser ilusórios”, escreve a principal autora do estudo, Anne Cleary, no artigo publicado no periódico Psychological Science.

Os cientistas ainda estão tentando entender completamente o déjà vu. Eles sabem que o fenômeno está conectado com a memória e que geralmente são acompanhados de um sentimento de premonição.

Neste estudo, os pesquisadores pediram aos participantes que navegassem em um mundo tridimensional, em uma espécie de jogo em realidade virtual em primeira pessoa. As cenas variavam na aparência e algumas delas exigiam passar por um caminho repetido – basicamente, um mesmo labirinto com uma aparência diferente.

Os cientistas queriam saber se, depois de visualizar a cena anterior, os participantes experimentariam um déjà vu e acreditariam que seriam capazes de prever o caminho em algum ponto crítico ou prever corretamente o que aconteceria a seguir.

No geral, os participantes eram mais propensos a ter déjà vu se atravessassem o mesmo caminho em um cenário diferente. E eles tinham o sentimento de que poderiam prever o próximo passo – mas não conseguiam fazer previsões consistentes.

Os autores não descartaram completamente a possibilidade de realizar previsões corretas ao passar por um déjà vu em outras situações. Experimentos como esses possuem um fator limitante que é o laboratório.

Porém, o psicólogo Daniel Schacter, de Harvard, disse ao Gizmodo que o artigo apresentou “evidências impressionantes de que a característica comum e perplexa da experiência de déjà vu – o sentimento subjetivo de que sabemos o que vai acontecer a seguir – é uma ilusão enraizada no vínculo próximo entre memória e a projeção do futuro”. Schacter não estava envolvido no estudo.

O psicólogo disse ainda que a pesquisa tem muito a ver com o funcionamento da memória em geral “que apoia nossa capacidade de imaginar e pensar sobre experiências futuras”. Ele adiciona ainda que “o estudo fornece novas evidências sobre como a natureza da memória orientada para a projeção do futura é desempenhada durante uma experiência de déjà vu”.

Em outras palavras, a memória ajuda você a pensar sobre o futuro, mas provavelmente permite que você o preveja.

Como Cleary escreve, é provável que você tenha o sentimento de que pode prever o futuro caso tenha um déjà vu, “muito embora não existe evidências de habilidades de premonições reais durante o estado de déjà vu ou quaisquer associações entre os sentimentos de premonição e a possibilidade de uma premonição verdadeira”.

[Psychological Science]

Foto do topo por Pixabay