A história, contada pelo New York Times, revela que a Dell estava tão desesperada em cortar custos que não só eles venderam computadores cheios de capacitores que com quase toda certeza poderiam estourar e vazar na placa-mãe (possivelmente pegando fogo), como eles se recusaram a consertar os 1.000 computadores afetados pela empresa representada em um processo judicial.

(Mas claro, a Dell estava "consertando" os computadores com mais placas-mãe defeituosas.)

Aqui eu paro de contar a história. A versão completa no New York Times é uma história triste mas épica. [New York Times via Engadget]