Não jogue fora seus cassetes do Huey Lewis and The News: um DeLorean DMC-12 todo elétrico estará rodando pelo interior da Itália bem a tempo das comemorações de 25 anos do lançamento europeu do primeiro De Volta Para o Futuro.

Nossos amigos da Wired Itália são grandes fãs do filme. Além disso, são fascinados por carros elétricos, então a combinação faz sentido. Eles fizeram uma parceria com os experts de conversão open source de carros do eCars Now! Italy para tornar isso realidade. "Isso é o futuro de verdade, não de volta para o futuro", disse o editor Massimiliano Ferramondo, da Wired Itália.

Tecnicamente, o DeLorean elétrico completo está uma semana no futuro. Agora eles têm uma garagem cheia com um DeLorean enviado de Dallas e um kit de conversão para carro elétrico que inclui um motor 90 kW de 1.21 jiggawatt e baterias de lítio-íon que se encaixam no DMC-12 perfeitamente.

"Nós fizemos cálculos das coisas que o carro precisa para rodar bem — quantas baterias, que tipo de motor — e então fizemos peças temporárias de plástico", disse Ferramondo. "Nós começamos a considerar onde elas poderiam caber, e como faríamos para encaixá-las no carro, e se elas afetariam o equilíbrio e desempenho do carro naquelas posições".

A equipe encomendou baterias personalizadas da Coreia do Sul e as enviou para a Alemanha, para uma empresa que as moldou em um formato mais amigável ao DeLorean. Durante a semana que vem, a equipe vai montar todas as partes no carro e documentar o processo no site deles.

"Esta semana nós colocaremos os ingredientes elétricos no carro. Daremos a partida pela primeira vez no dia 12", disse Ferramondo. A não ser em caso de problemas inesperados, o carro estará pronto para testes antes da jornada oficial. Ferramondo não está preocupado com o processo de eletrificação, mas está nervoso com a possibilidade de ter que procurar peças de um carro extremamente raro, de 28 anos atrás, vendido quase que exclusivamente na América do Norte. "Se nós vamos ter algum problema, será mecânico e não elétrico", disse ele.

Quando estiver pronto, eles sairão dos escritórios da Wired em Milão e viajarão pelo interior da Itália, chegando a tempo para o Festival de Cinema de Roma. "Nós vamos levar esta experiência intermediária entre ficção e realidade ao festival", disse ele. Pelo caminho, a Universal Pictures está patrocinando maratonas de De Volta o Futuro nas cidades onde o carro pretende parar.

A equipe não vai pegar rodovias na sua viagem de 700 quilômetros e três dias até Roma. Eles querem mostrar o carro no máximo de lugares possível, e Ferramondo também disse que o silencioso motor elétrico vai ajudá-los a apreciar melhor as paisagens pastorais do interior italiano. "O caminho daqui a Roma é muito bonito", disse ele. "Nós queremos fazer isso dirigindo com segurança e redescobrindo uma nova experiência de viagem".

Tudo muito bonito, mas o carro também tentará dar show — ao menos o quanto for possível em se tratando de um design do início dos anos 80. Ferramondo estima que o tempo de 0 a 100 será cortado em 4.2 segundos e que o alcance do carro será de 200 a 220 quilômetros.

A equipe pretende recarregar o carro durante as paradas para almoço, e espera fechar um acordo com uma companhia elétrica da Itália para que não precisem lutar contra terroristas líbios para conseguir uma fonte de energia.

A escolha da capital italiana como destino final foi deliberada. Segundo Ferramondo, o governo italiano é um dos muitos que só permite conversões caseiras de veículos para eletricidade sob a classificação de protótipo, o que culmina em muitas dores de cabeça e regulamentações onerosas para conseguir seguro. "Customizar o seu carro, tornando-o elétrico, na Itália e em muitos outros países é ilegal".

Isso é um problema porque já existem muitos carros beberrões de gasolina ou diesel nas ruas, que ainda estarão rodando depois da revolução elétrica. "Se todos estivermos usando carros elétricos em dez anos, o que vai acontecer com todos os outros carros que acumulamos nas últimas centenas de anos?"

Depois da viagem, Ferramondo espera conseguir o perdão dos fãs de De Volta Para o Futuro, e fazer coisas ainda mais loucas com o carro.

"Nós achamos que os fanáticos pelo filme considerarão a nossa conversão muito inortodoxa", diz Ferramondo. "Precisaremos nos reintegrar aos fãs. Provavelmente o DeLorean voltará às ruas e será o primeiro passo em um projeto maior. O motivo de termos montado um site para ele é que queremos reutizá-lo. Esperamos poder fazer uma corrida de verdade contra os dez leitores nossos que fizerem os carros elétricos mais bizarros".

A Wired.com expande a consciência coletiva com notícias sobre tecnologia, ciência e cultura geek desde 1995.