Quando falamos que está cada vez mais difícil identificar o que é verdade ou mentira, costumamos nos referir à tecnologias como deepfake e outros tipos sofisticados de manipulação. Geralmente, imagens retiradas da ficção não entram nessa seara de desinformação. Mas parece que o deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP) não soube diferenciar imagens da vida real com um jogo de videogame.

Na manhã desta segunda-feira, Zarattini publicou em seu perfil do Twitter um vídeo, afirmando que aquelas imagens seriam do ataque de drones americanos no Iraque, na operação que matou o general iraniano Qasem Soleimani. “Massacre brutal. Veja como os drones americanos mataram o general iraniano Qassim Suleimani”, escreveu.



Deputado Carlos Zarattini no Plenário do CongressoDeputado Carlos Zarattini. Crédito: Wiki

Acontece que o tal vídeo era, na verdade, de um jogo de simulação para Android. Mais especificamente, do game AC-130 Gunship Simulator: Special Ops Squadron. As imagens compartilhadas estão no trailer divulgado pela desenvolvedora do game no YouTube, publicado em 2015. Para esclarecer, o drone utilizado pelos EUA para matar Soleimani era um MQ-9 Reaper, e não um AC-130.

Dá até para dizer que o vídeo estava em baixa resolução e o game oferece realismo o suficiente para confundir alguém, mas em tempos de desinformação a atenção redobrada nunca é demais. Poucos minutos depois de publicar o tuíte, muita gente criticou e ironizou a publicação de Zarattini. Segundo a Veja, o deputado apagou o tuíte por volta das 11h40. Após um tempo, o deputado apagou o tuíte e pediu desculpas por ter compartilhado a informação.

O Cid, do blog Não Salvo, foi uma das pessoas que apontou o erro, e o mais impressionante é que um outro usuário refutou dizendo que não era um game, pois as imagens estavam em preto e branco. “C/ essa tecnologia gráfica tridimensional 3D (sic) não deveria ser Preto e branco, né??”, tuitou, convicto. Pois é, a computação gráfica é mesmo capaz de feitos incríveis, como deixar imagens em preto e branco para obter mais realismo.

Essa não é a primeira vez que imagens do trailer do game é utilizada para espalhar desinformação. Em 2017, o Ministério da Defesa da Rússia publicou uma nota que dizia ter “provas irrefutáveis” de que os Estados Unidos estavam ajudando o Estado Islâmico, conforme aponta essa reportagem da BBC.

Também não é a primeira vez que imagens de jogo de videogame é confundida com a vida real (os gráficos estão cada vez mais impressionantes mesmo). Em 2017, o programa exibiu uma reportagem com “imagens do teste para ser motorista do presidente dos Estados Unidos”, em que uma limousine é conduzida em alta velocidade de ré. As tais imagens eram do jogo Forza 6, para Xbox One.

Está cada vez mais difícil separar a ficção da realidade.