Arqueólogos do Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito encontraram uma oficina de cerâmica que data do início do período romano, no ano 30 a.C. O local foi descoberto durante uma expedição a oeste de Alexandria.

O espaço é dividido em 13 diferentes salas. Parte delas continham fornos esculpidos em rochas, que foram usados para fabricar ânforas – vasos de cerâmica com duas alças usados para armazenamento e transporte de mercadorias. Um dos fornos estava em excelente estado de conservação.

Havia ainda espaços destinados a venda dos itens, depósitos, quartos com utensílios de cozinha e salas de rituais com estátuas de terracota. 

Cerâmica Alexandria
Oficina foi utilizada no passado para a fabricação de ânforas. Imagem: Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito/Reprodução

O local foi construído no início da Era Romana, mas parece ter sido reocupado em épocas posteriores. Na Era Bizantina, os fornos eram usados na produção de cal. Já na Idade Média, o lugar se tornou um cemitério. Restos mortais de uma mulher grávida foram encontrados entre as sepulturas. 

Estatuetas Alexandria
Estatuetas utilizadas em rituais na antiga oficina de cerâmica de Alexandria. Imagem: Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito/Reprodução
Moedas Alexandria
Moedas com a imagem de Cleópatra e de Alexandre, o Grande, encontradas em sítio arqueológico no Egito. Imagem: Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito/Reprodução

Vasos de cerâmica e fornos foram apenas alguns dos achados arqueológicos do sítio de Alexandria. Suas câmaras também traziam lenha, estatuetas, ossos de animais e moedas com a imagem de Cleópatra e de Alexandre, o Grande. Foi descoberto ainda um amuleto do deus egípcio Bes – senhor do prazer e da alegria – e uma coroa de penas associada a ele.