Uma cúpula colocada sobre o sismômetro da sonda InSight agora protegerá o dispositivo sensível contra o vento marciano e as flutuações extremas de temperatura do planeta.

Desde que o lander estacionário InSight, da NASA, chegou a Marte em 19 de Dezembro, os controladores de missão têm utilizado constantemente seus vários instrumentos. Durante as últimas semanas, a equipe tem ajustado o Seismic Experiment for Interior Structure (“Experimento Sísmico para Estrutura Interior”), também conhecido como SEIS. Na segunda-feira (4), a agência espacial emitiu um comunicado destacando a mais recente realização da missão — a colocação de uma cobertura protetora em forma de cúpula, chamada de Escudo Térmico e Eólico, sobre o detector de terremotos marcianos.

Na Terra, os sismômetros estão enterrados a cerca de um metro de profundidade para se protegerem dos elementos. A sonda InSight não é capaz de cavar um buraco suficientemente grande, mas possui um braço robótico, que usou para colocar a cobertura protetora sobre o SEIS. O escudo agora protegerá o equipamento contra interferências externas que poderiam impedir a coleta de dados precisos, como temperaturas extremamente flutuantes e ventos fortes. A cúpula foi projetada de tal forma que nem mesmo uma forte rajada de vento será capaz de derrubar a estrutura.

Porém, embora os ventos sejam definitivamente uma preocupação, são as flutuações malucas de temperatura que representam a maior ameaça para o SEIS. Da noite para o dia, as temperaturas em Marte podem oscilar em 94º C.

“A temperatura é um dos nossos maiores temores”, apontou o investigador principal da InSight, Bruce Banerdt, em um comunicado de imprensa. “Pense no escudo como colocar uma proteção sobre sua comida em uma mesa. Ele evita que o SEIS aqueça muito durante o dia ou esfrie muito à noite. Em geral, queremos manter a temperatura o mais estável possível.”

Para complementar a barreira, o SEIS está equipado com instrumentos capazes de suportar as oscilações de temperatura. Seus componentes internos possuem tolerâncias que permitem que o dispositivo funcione após a contração ou expansão de suas partes, e o próprio instrumento é armazenado dentro de uma esfera de titânio selada a vácuo para isolamento ainda maior. Mas, como a NASA explica, há ainda mais proteção para o SEIS:

A esfera é fechada dentro de mais um recipiente isolante — uma caixa hexagonal de cor cobre visível durante a implantação do SEIS. As paredes dessa caixa são compostas por células que prendem o ar e impedem que ele se mova. Marte fornece um excelente gás para esse isolamento: sua fina atmosfera é composta principalmente de dióxido de carbono, que, em baixa pressão, é especialmente lento para conduzir calor.

Com essa conquista mais recente, a NASA está se aproximando da linha de chegada da implantação, do início da coleta de dados reais e da detecção de atividade sísmica sob a superfície marciana. Com essa etapa encerrada, a equipe da InSight está se preparando para instalar sua sonda de calor — o Heat Flow and Physical Properties Package. Isso pode acontecer já na próxima semana.

Até agora, essa missão marcante tem ocorrido sem problemas. Cruzemos os dedos para que as coisas permaneçam assim.

[NASA]