Como os protestos na Líbia podem afetar você? Depois dos protestos, o governo está interrompendo o acesso à internet todo dia. E se a Líbia desligar a internet (como o Egito fez) isso poderia ser um problema: afinal, o domínio .ly – usado em sites como o bit.ly, ow.ly e deck.ly – é da Líbia. Oh-oh.

A população da Líbia quer por um fim ao regime do terrível Muammar Al-Gaddafi, ditador que comanda o país há 42 anos. Então Gaddafi está fazendo coisas absurdas para se manter no poder, como ordenar aviões de combate a atirarem em manifestantes e cortar a internet toda noite. Mas e se eles resolverem cortar a internet de vez?

John Borthwick, CEO do Bit.ly, diz que isso não é problema: ele diz no site Quora que, para que o domínio .ly pare de funcionar, os cinco servidores que abrigam o domínio precisam parar de funcionar. E desses cinco, apenas dois estão na Líbia (dois estão nos EUA, e um na Holanda).

Mas, segundo Kim Davies, isso não é tão simples assim. Os servidores fora da Líbia que armazenam o domínio .ly obtêm atualizações dos servidores dentro do país. Segundo Kim, se eles não conseguirem obter atualizações, “num período entre 0 e 28 dias” eles param de manter o domínio online. Fora que já vimos problemas com o domínio .ly antes: o governo da Líbia tirou o site vb.ly do ar por conter conteúdo erótico, por ser proibido pela lei islâmica. Nada impede que eles criem problemas com outros sites também.

Ou seja, melhor usar encurtadores de URL como o J.mp ou o Goo.gl, e evitar domínios que pertençam a ditaduras em crise. [Quora via ReadWriteWeb]

Foto por Messay Shoakena/Flickr