AT&T, Orange, Telefónica, China Mobile, Verizon, Sprint e várias outras operadoras anunciaram a formação da Wholesale Applications Community, cujo propósito é tentar criar uma alternativa mais aberta à lojinha de aplicativos da Apple.

Eles terão apoio, em termos de hardware, de LG, Samsung e Sony Ericsson na criação desse sistema aberto de desenvolvimento e distribuição de apps. O que eles perdem em embalo, compensam em massa: combinadas, as empresas da aliança já atendem mais de três bilhões de clientes mundialmente.

Não há dúvidas de que os apps são um negócio importante, especialmente para a Apple, mas até agora estivemos limitados basicamente à própria Apple e, em menor escala, ao Android Market. A Wholesale Applications Community planeja usar inicialmente os requerimentos JIL e OMTP BONDI para tentar chegar a um padrão comum dentro de um ano. Eventualmente, eles querem chegar a um padrão comum que permita a portabilidade dos apps entre as plataformas mobile.

A quantidade de fragmentação que existe hoje no mundo dos apps só tem aumentado, então é um alívio ver uma iniciativa tentar aumentar o mercado, ao mesmo tempo em que simplifica e mantém uma unidade. Será interessante, porém, ver quanto tempo eles vão demorar para se decidirem nesses padrões comuns. Com tantos chefs, pode ficar difícil não estragar a sopa.