Os apps rodam através do Android App Player no BlackBerry PlayBook, e pelo visto é uma experiência boa e funcional: a empresa mostrou um app de música, o IMDb e o GameCenter, e todos rodaram sem problemas. E vale lembrar que, como os apps precisam ser aprovados pela RIM antes de chegarem ao PlayBook, o tablet só deve rodar apps para Android que funcionem bem nele.

Para quem acha que isto é apenas uma gambiarra, a RIM parece ter cuidado dos detalhes ao portar apps do Android para o PlayBook. Primeiro que eles vão avaliar cada app para Android que seja enviado ao BlackBerry App World, então apps que funcionem mal ou nem funcionem não estarão disponíveis para o tablet.

Segundo, os apps para Android estão integrados nos menus aos apps nativos: rodar os apps é simples, basta tocar no ícone correspondente na gaveta de apps, e pronto. E terceiro, os botões do Android (Menu, Voltar e Home) foram remapeados como gestos no PlayBook: por exemplo, deslizar o dedo na borda superior equivale a apertar o botão Menu. (As quatro bordas do PlayBook são sensíveis a gestos.)

A demonstração acima tem alguns poréns: só foram mostrados apps para Android 2.2, então talvez apps específicos para Android 3.0 Honeycomb – versão do robozinho específica para tablets – não rodem no PlayBook, ironicamente. E, como não vimos dois apps para Android rodando ao mesmo tempo, é possível que o PlayBook rode só um app de cada vez. (Para os apps nativos, ele tem multitarefa.)

O PlayBook já tem mais de 3.000 apps, enquanto o Honeycomb tem só uns cinquenta e o Android, mais de 200.000. Talvez você não goste que o PlayBook dependa de outra plataforma para ter apps, mas oferecendo esta função os usuários do PlayBook têm mais opções. Será que é uma opção realmente boa? É ver para saber, quando o Android App Player estiver disponível para download, ainda sem data definida. [BlackBerry via Phandroid e PC World]