É normal ver alguém sem um membro, berrando de dor e coberto de sangue e ficar, no mínimo, completamente chocado com a situação. Mas se você é um médico militar, isso pode custar vidas. A solução? Um programa de treinamento que obriga a ação frente à carnificina (artificial).

Para isso, as Forças Armadas americanas contrataram a Strategic Operations, uma empresa de produção com nível de Hollywood que cria simulações de treinamento quase iguais à realidade (sem a certeza da morte e outras coisas, claro). Mas as imagens que os participantes do treinamento precisam encarar (e são forçados a reagir) são tão cruéis como qualquer coisa que se vê no campo de batalha. 

Para preparar os médicos de campo com as coisas chocantes que eles verão quando estiverem no meio de uma batalha, centenas de atores equipados com próteses laceradas e bombas de sangue (e gritos bastante convincentes de agonia) criam cenas realistas de medicina na guerra. "Tudo se torna tão intenso e real", diz o executivo da Strategic Operations, Kit Lavell. "Eu já vi médicos congelarem – alguns sem saber o que estava acontecendo." [Fast Company]