Uma interface cérebro-computador é algo bacana de se sonhar, mas não está exatamente tão perto de virar realidade. No entanto, estamos chegando perto. Microfiletes de carbono desenvolvidos recentemente podem servir como implantes cerebrais, que você usaria para controlar computadores através da mente.

Os novos eletrodos de fibra de carbono, feitos pela Universidade de Pittsburgh, são minúsculos: apenas sete micrômetros de espessura, ou seja, 100 vezes mais finos do que os eletrodos tradicionais usadas para estudar o cérebro de animais.

Com este formato pequeno, os eletrodos podem ser cobertos em proteínas para evitar que o cérebro os rejeite imediatamente. Dessa forma, eles podem ser conectados diretamente ao cérebro, onde cada eletrodo pode monitorar um neurônio específico.

Já existem eletrodos que funcionam pelo mesmo princípio básico, mas eles costumam ser muito grandes para uso prolongado. Com o tempo, o corpo começa a cicatrizar os tecidos do cérebro afetados pelo eletrodo, deixando-o ineficaz. No entanto, parece que os eletrodos minúsculos conseguem evitar esse problema.

Dessa forma, eles podem ser usados para controlar um computador indefinidamente, ou mesmo para tetraplégicos controlarem membros biônicos com a mente. Ainda não vamos conectar o PC a nossos cérebros tão cedo – mas quando chegar a hora, estes pequenos eletrodos poderão ser bem úteis. [Technology Review]