O bilionário Elon Musk anunciou na última terça-feira (3) que o Twitter deverá cobrar uma pequena taxa das contas comerciais e governamentais que utilizam a plataforma. Contudo, o magnata ressaltou que a rede social sempre será gratuita para aqueles usuários que ele chamou de “casuais”.

A novidade faz parte dos esforços de Musk em aumentar as receitas do Twitter. Conforme apontou a Reuters, o empresário afirmou aos bancos — que o ajudaram a financiar a compra da rede social — que também pretendia desenvolver novas maneiras de monetizar tweets, como, por exemplo, aquelas postagens que tragam informações importantes ou se tornarem virais.

O noticiário destacou ainda que Musk precisou “convencer” as instituições financeiras que o Twitter teria fluxo de caixa suficiente para conseguir pagar um empréstimo bancário de US$ 13 bilhões, montante este que ele usou para ajudar na compra da empresa.

Outras promessas de Elon Musk

Além disso, estão nos planos a redução de salários de executivos e do conselho do Twitter, com o objetivo de reduzir custos da empresa. Segundo o novo proprietário da plataforma, seria possível gerar uma economia de cerca de US$ 3 milhões somente com o corte de salários dos diretores.

Sobre o serviço de assinatura premium “Twitter Blue”, Elon Musk chegou a afirmar que pretendia reduzir o preço, proibir a publicidade e incluir a opção de pagamento por meio da criptomoeda dogecoin. Porém, o tweet com essa promessa foi excluído.

As promessas de Musk vão além, e incluem algoritmos de código aberto para aumentar a confiança no Twitter, derrubar bots de spam, assim como autenticar todos os usuários.

“Vamos tornar o Twitter mais divertido!”, tuitou o empresário. O tempo dirá.