“Não é mais aceitável”. Foi assim que Elon Musk definiu o trabalho remoto para a equipe executiva da Tesla. Segundo um e-mail vazado pelo site Electrek, o bilionário determinou que os funcionários voltem a cumprir uma jornada de trabalho presencial de no mínimo 40 horas semanais no escritório principal da empresa.

Quando perguntado no Twitter sobre a autenticidade do e-mail vazado, Musk disse apenas que “eles [os funcionários] deveriam fingir trabalhar em outro lugar”.

A mensagem foi enviada na última terça-feira (31) e ressalta que 40 horas é “menos do que pedimos aos trabalhadores da fábrica”. O CEO da Tesla disse ainda que poderia abrir exceções para o trabalho em home office, mas que ele mesmo aprovaria cada caso.

“Pseudo escritório remoto”, diz Musk

Em outro e-mail, que o site Electrek também teve acesso, o magnata deixa claro que o trabalho deve ser feito onde “seus colegas de verdade estão” e não em um “pseudo escritório remoto”. Ele ainda adota um tom ameaçador de que, caso algum funcionário não apareça no escritório, a empresa irá supor que o mesmo renunciou ao cargo.

Musk ainda usa o e-mail para dizer que quanto mais sênior o funcionário for, mais presente ele precisa estar na empresa. O bilionário cita o período em que ele mesmo morou na fábrica, para acompanhar a linha de produção dos carros. “Se eu não tivesse feito isso, a Tesla já teria falido há muito tempo”, afirmou Elon Musk.

“É claro que existem empresas que não exigem isso, mas quando foi a última vez que enviaram um ótimo produto novo? Faz algum tempo. A Tesla criou, criará e fabricará os produtos mais interessantes e significativos de qualquer empresa na Terra. Isso não acontecerá via telefonemas”, finalizou.