No último domingo (25), o Ingenuity demonstrou mais uma vez do que era capaz. O pequeno helicóptero da Nasa em Marte completou seu terceiro voo de teste no início do dia, desta vez indo mais longe e rápido do que em qualquer teste feito na Terra.

O Ingenuity realizou seu terceiro voo às 11h16 (horário de Brasília). O helicóptero subiu cinco metros (a mesma altitude do segundo voo de teste) e voou por 50 metros. A Nasa disse que o voo durou 80 segundos e que o helicóptero chegou à velocidade máxima de 2 m/s.

Na sexta-feira, Havard Grip, piloto-chefe do Ingenuity no Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, disse que o plano do time é preparar, voar, analisar os dados e então “planejar um teste ainda mais ousado para o próximo voo”.

Foi exatamente o que eles fizeram. Apenas alguns dias atrás o Ingenuity voou dois metros para leste e voltou em 51,9 segundos. Agora, poucos dias depois, o helicóptero está voando metade de um campo de futebol em apenas 80 segundos.

“Com esse voo estamos demonstrando capacidades críticas que permitirão a adição de uma dimensão aérea em futuras missões a Marte”, disse Dave Lavery, executivo do programa do Ingenuity na Nasa, em um comunicado publicado pela agência espacial.

O terceiro voo do helicóptero ainda testou a sua habilidade de processar imagens tiradas pela sua câmera de navegação em preto e branco, um dispositivo que analisa a superfície do planeta. O computador de voo da Ingenuity “utiliza os mesmos recursos que as câmeras”. E isso é muito importante, uma vez que o computador de voo é o que faz o helicóptero se mover de forma autônoma depois de receber as instruções da Nasa, que são enviadas com horas de antecedência.

A câmera do Ingenuity consegue capturar mais imagens conforme a distância aumenta. No entanto, se o helicóptero voar muito rápido, seu algoritmo de voo não consegue rastrear muitas características da superfície. A Nasa testou o Ingenuity apenas em câmeras de vácuo na Terra, onde o helicóptero podia se mover apenas cerca de meio metro em qualquer direção. Para replicar a atmosfera de Marte, que tem apenas 1% da espessura terrestre, as câmaras são preenchidas com ar fino, principalmente dióxido de carbono.

Dada a velocidade, alcance e altitude planejados para o terceiro voo de teste, a Nasa não tina certeza se a câmera do Ingenuity rastrearia o solo conforme planejado enquanto o helicóptero acelerava.

Assine a newsletter do Gizmodo

“Essa é a primeira vez que vimos o algoritmo da câmera rodando por uma longa distância”, disse Mimi Sung, gerente de projeto do Ingenuity no Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, também em comunicado à imprensa. “Você não consegue avaliar isso na câmera de teste”, afirmou.

A equipe do Ingenuity também ultrapassou os limites do helicóptero, instruindo-o a tirar mais fotos por conta própria, incluindo com sua câmera colorida. A Nasa divulgou recentemente as primeiras imagens coloridas tiradas pelo Ingenuity em seu segundo voo. Você até consegue ver algum dos rastros deixados pela Perseverance, que tem funcionado como um pai orgulhoso e atento do Ingenuity.

O helicóptero irá tentar até cinco voos de teste em 31 dias terrestes. A Nasa disse que o quarto voo será feito em alguns dias.