A Astroscale, empresa de Tóquio especializada em remover detritos orbitais, está pronta para lançar uma missão de para recolher lixo espacial no final de 2024.

A missão ELSA-M (Serviço de Fim de Vida da Astroscale-M) será uma parceria com o provedor de banda larga via satélite OneWeb. Ela será lançada no final de 2024, com “planos ambiciosos de fornecer um serviço de remoção de detritos aos operadores de satélite”, segundo comunicado da empresa.

O sistema da Astroscale usa uma placa de acoplamento magnética montada numa espaçonave antes do lançamento, projetada para que a espaçonave que vai coletar os resíduos se conecte e arraste o satélite para baixo após a conclusão da missão.

A missão de remoção de detritos tem apoio da Agência Espacial Europeia (ESA) e a Agência Espacial do Reino Unido, que financiaram o projeto com US$ 15,9 milhões.

O projeto visa capturar e remover vários satélites em uma única missão, uma vez que eles cheguem ao fim de sua vida útil na órbita baixa da Terra. 

A montanha de detritos que vaga pelo espaço é o resultado de mais de seis décadas de exploração espacial. Todo esse lixo provém principalmente de destroços, explosões ou colisões de milhares de satélites que estão na órbita da Terra desde 1957. Com satélites de internet banda larga sendo lançados aos milhares todos os anos — por Elon Musk e seus rivais do setor –, é provável que esse lixão não deva parar de crescer tão cedo.