O site The Atlantic explica o que significam os barulhos da conexão discada. Cada som tem um propósito específico: como lembra Alexis Madrigal, “os sons não eram um sinal de que os dados estavam sendo transferidos – eram os próprios dados sendo transferidos”. Hoje muitos já têm banda larga fixa ou móvel e não precisam ouvir esses ruídos, mas nunca é tarde para aprender.

Tudo começa com a linha dando sinal, e o modem discando o número. Aí começam os ruídos estranhos: é o modem indicando a velocidade na qual pode navegar. Depois vem o “pi pi pi pi”: é o handshake, o momento no qual os parâmetros da conexão são definidos. E, quando a linha emite o forte som de chiado contínuo, começa a negociação de taxa – qual será a velocidade desta conexão?

Quando o chiado se torna um som bem distorcido, sucesso: a conexão foi aceita. O chiado volta e significa que você está, enfim, na Internet a incríveis 56Kbps (se você tiver muita sorte).

Por que o modem não usava sons inaudíveis para o ser humano, em vez de fazer tanto barulho? Porque, como explica a The Atlantic, as frequências de som que uma linha telefônica podia levar eram limitadas, de 300 a 3.300Hz, que o ser humano pode ouvir. As linhas foram feitas para telefonar, afinal! É assim que uma tecnologia do século XIX consegue levar outra do século XX. [The Atlantic via The Verge]