Google e Amazon imaginam um mundo onde drones levarão suas compras e encomendas até você. Mas elas têm projetos ambiciosos que podem demorar muitos anos para se concretizar (se isso acontecer). Alguém precisa dar o primeiro passo no mundo real: por isso, a DHL começará a fazer entregas por drone. É algo limitado, mas é um começo promissor.

Em parceria com o governo alemão, a DHL determinou um trajeto para seu drone Paketkopter levar encomendas de um porto até a ilha alemã de Juist, no Mar do Norte. O drone voará por 12 km a uma altura de 50 m, chegando a velocidades de até 65 km/h.



Durante os testes, o drone não levará as encomendas direto para as casas: na verdade, o Paketkopter nem mesmo irá sobrevoar as residências. Em vez disso, ele pousa em uma base e a encomenda é levada por um funcionário do correio.

“Ei, mas isso anula o propósito dos drones!”, você diria. Não exatamente. O Paketkopter será uma forma de entregar medicamentos e outros itens para urgências a uma ilha que só pode ser acessada através de barca ou avião. O drone consegue levar cargas de até 1,2 kg e, apesar de ser monitorado constantemente, ele voa em piloto automático desde a decolagem até o pouso.

Ainda não há planos para este drone realizar entregas no serviço comum da DHL, mas a empresa diz que “o uso de parcelcopters para entregar bens urgentemente necessários para áreas pouco povoadas, ou remotas, ou em situações de emergência, é uma opção interessante para o futuro”.

Divulgação

Ultimamente, os drones já voam em diversos países para agilizar o delivery de pizza, de sushi e até de pão. Este ano, a brasileira Pão To Go começou a testar a entrega de pão francês via drones em São Carlos (SP). No entanto, o uso de drones ainda é limitado, pois ainda não há regulamentação específica para ele.

Nos EUA, a FAA (agência de aviação) ainda avalia o uso de drones para fins comerciais. No Brasil, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) está elaborando a norma que regulamentará os veículos aéreos não tripulados. Por enquanto, o uso de drones para fins lucrativos ou dentro de áreas urbanas é proibido. [DHL via Reuters via Engadget]

Fotos por AP Photo/dpa,Oliver Berg