Como reportado primeiro pelo SF Weekly, descobriu-se que investigadores da Apple que procuravam por um protótipo perdido de iPhone podem ter-se feito passar por oficiais de polícia de San Francisco para realizar buscas na casa de um homem chamado Sergio Calderon. Um membro da família nos confirmou que ao menos três pessoas da equipe que revirou a casa mostraram distintivos.

Seis oficiais apareceram na residência de Calderon, segundo o SF Weekly, um dos quais confirmou ser um empregado da Apple — Anthony Colon, um Investigador Sênior da empresa. Nós conversamos com um membro da família que estava presente durante a busca, e ele nos contou que ao menos três membros da equipe de segurança que realizou a busca na casa mostraram distintivos e se pareciam com oficiais de polícia. A equipe com os distintivos consistia de duas mulheres e um homem.

O Departamento de Polícia de San Franscico não tem registro dessa busca. Sergio Calderon, acredita-se, é o suspeito em uma notícia da CNET que afirma que um protótipo de iPhone de nova geração foi perdido em um bar e possivelmente vendido no site Craigslist por US$ 200.

Além disso, o departamento de polícia não foi capaz de obter nenhuma informação da Apple sobre o protótipo de iPhone perdido. A Apple não colaborou com a investigação.

Conversei também com o oficial Alan Byard, da San Francisco Patrol Special Police, mas ele garantiu que a agência não estava trabalhando com a Apple durante a investigação do protótipo perdido, e que também não estava presente durante a busca à residência de Sergio Calderon. A San Francisco Patrol Special Police é uma força policial comunitária autorizada pela cidade de San Francisco. Eles são pagos com dinheiro privado, usam uniformes, carregam armas e usam rádios da polícia.

Como reportado pela CNET no seu artigo original, a equipe obteve permissão para realizar uma busca por informações sobre o protótipo na casa e no computador de Sergio depois que a casa foi apontada por um GPS como possível localização do protótipo. Quando a busca foi concluída sem resultados, eles concluíram que o iPhone não estava lá, e “não parece que jamais esteve”.

Se a equipe de segurança em qualquer momento se apresentou como parte do SFPD — Departamento de Polícia de San Francisco –, eles podem entrar em maus lençóis se o homem apresentar queixas. Antes que isso aconteça, a polícia não pode investigar.