Em entrevista ao AllThingsD, Eric Schmidt respondeu a uma pergunta da plateia: se ele fosse CEO de novo, ele escolheria a Apple, a Amazon ou o Facebook? Schmidt escolheu a Apple. Ele também disse o que acha da Microsoft, e ficou mencionando várias vezes o bilhão de usuários no Facebook.

Por que Schmidt, hoje diretor-executivo do Google, gostaria de ser CEO da Apple? Eis o que ele diz:

Eu estava na diretoria da Apple, e sempre terei uma queda por eles. Eu era muito amigo e muito próximo de Steve Jobs, e sentimos muita falta dele. Jeff Bezos tomou decisões notáveis. E mais uma vez, o Facebook tem um bilhão de usuários.

Mas quando insistiram na pergunta, ele admitiu que iria com a Apple porque ela tem mais dinheiro. Faz sentido!

Ainda sobre a Apple, ele diz que a empresa “deveria ter mantido nossos mapas”. O entrevistador lembra que o Google não oferecia todas as funções que a Apple queria, e Schmidt responde: “A Apple decidiu há muito tempo fazer seus próprios mapas… [agora eles] descobriram que mapas são algo difícil”.

Sobre a disputa do Android vs. Apple, eis o que ele tem a dizer:

A briga entre as plataforma Android e Apple é uma disputa que define [o mercado]. Eis o motivo: a Apple tem milhares de desenvolvedores criando apps para ela. A plataforma do Google, o Android, é ainda maior. Há quatro vezes mais celulares com Android que celulares da Apple. São 500 milhões de celulares já em uso. E fazemos 1,3 milhões de ativações por dia. Nós estaremos em 1 bilhão de dispositivos móveis em um ano.

E o Windows Phone? Sobre a Microsoft, Schmidt é bem crítico. Ele diz que as quatro empresas de tecnologia mais influentes são Apple, Amazon, Facebook e (claro) Google – ele deliberadamente deixou a Microsoft de fora: “Eles são uma empresa bem gerida, mas ainda não conseguiram trazer produtos de ponta para os campos que estamos falando”, nos quais as outras quatro empresas atuam. Mas a Microsoft está mudando! O que ele acha do Surface, por exemplo? “Será bastante relevante se o produto funcionar”.

Schmidt também parece consciente de bilhão de usuários do Facebook, porque ele menciona isso várias vezes. Sobre o concorrente do Google+, Schmidt reconhece que “em se tratando de identidade, um dos erros que cometemos na internet foi que nunca demos a vocês uma maneira confiável para dizer quem você é. O Facebook emergiu como a melhor maneira de fazer isso. Mas todas as empresas terão algum tipo de solução para a identidade.”

Schmidt ainda comenta sobre a guerra de patentes, carros autônomos e até jornalismo. Assista a conversa com Schmidt neste link, ou leia o liveblog da entrevista clicando aqui: [AllThingsD]