IGF 2015: começa hoje fórum que discute o futuro da internet

Começa hoje o IGF 2015, o Fórum de Governança da Internet, realizado em João Pessoa, na Paraíba. O evento, encabeçado pela ONU (Organização das Nações Unidas), é um grande encontro com diversos setores – entidades da sociedade civil, ONGs, governos e empresas – para discutir questões relacionadas à internet. O fórum vai de 10 a 13 de novembro e nós, do Gizmodo Brasil, vamos acompanhar as principais sessões e discussões do evento.

O tema deste ano do fórum é “Evolução da Governança da Internet: empoderando o desenvolvimento sustentável”. Um dos objetivos é discutir o papel da internet na implementação da agenda 2030, da ONU, para o desenvolvimento sustentável. A abertura do evento contará com Lenni Montiel, secretário geral da ONU para o Desenvolvimento Econômico.

Para se ter uma ideia, serão discutidos assuntos como neutralidade de rede (podemos ter planos de internet que privilegiam o acesso a um app?), a internet e os direitos humanos (como lidar com ofensas na rede?) e questões relacionadas a segurança e privacidade (algum governo pode ter o poder de controlar a rede?).

O Brasil não é estreante como sede do IGF. O primeiro foi em 2007, no Rio de Janeiro, e já naquela época se discutia a importância de que as decisões sobre governança da internet fossem fruto de um acordo multissetorial.

Pois bem, após oito anos, uma das pautas do fórum é a transição do comando da Iana (órgão ligado ao Departamento de Defesa dos Estados Unidos), que é responsável pela distribuição de endereços IPs. Já havia um papo sobre essa mudança de comando, porém as denúncias de Edward Snowden intensificaram as conversas para que a internet seja menos centralizada nos Estados Unidos.

Tradicionalmente, no fim de todo IGF há um documento com uma espécie de resumo de discussões e de decisões tomadas. Na do ano passado, por exemplo, foram atualizadas as orientações de como empresas de TI deveriam lidar com a proteção de crianças online. O ITU (órgão de telecomunicações da ONU) e a Unicef criaram um cartilha online sobre isso.

Estarão no IGF executivos-chave de empresas como Facebook, Google e Mozilla. Entre as entidades civis, os destaques vão para a Web We Want Foundation (fundada por Tim Berners-Lee, pai do protocolo IP) e a Article 19 (ONG que luta pela liberdade de expressão na rede). Da parte do poder público, o evento contará, por exemplo, com a presença do deputado Alessandro Molon, que foi o relator do Marco Civil.

Enfim, vai ter muita coisa em jogo. Mesmo sem a tomada de decisões que mudarão a sua vida nos próximos dias, o IGF servirá no mínimo para sabermos como cada um desses atores pensam e como eles veem o futuro da internet. As discussões podem ser seguidas pelo canal do YouTube do evento.

apresentado_por_IBM (1)