Oito vezes em que o Watson já mudou o mundo – e você não percebeu

selo_apresentado_interna1_IBM

A computação cognitiva é invisível para a maioria dos usuários de tecnologias de consumo. Quem tem em mãos um aplicativo muitas vezes não faz ideia da capacidade computacional utilizada por ele para fornecer insights sobre o mercado de ações ou oferecer atendimento de um concierge virtual para planejar a próxima viagem. Mesmo assim, essa nova era tecnológica já é uma realidade e ela muda o mundo em uma série de setores de maneira sem precedentes.

O IBM Watson é o grande expoente da computação cognitiva. Ele tem a capacidade de coletar informações não estruturadas da internet (vídeos, fotos ou textos) e processá-las mais como um ser humano do que como uma máquina. Com isso, essa plataforma de inteligência artificial funciona como um super funcionário multisetorial onipresente, que tem aplicações específicas para auxiliar humanos em cargos de chefia, como CEOs e CIOs, ou que atuam em segmentos com alta complexidade profissional, como médicos.

Os fundamentos do IBM Watson dentro das empresas são três: gerar engajamento com clientes, auxiliar na descoberta de ferramentas e informações úteis para o negócio, e ajudar na difícil tarefa de tomar decisões que podem mudar o rumo da companhia.

Por conta das mais de 30 APIs do IBM Watson, essa ferramenta de inteligência artificial já ajudou na criação de mais de 500 empresas em todo o planeta. Confira a seguir algumas das aplicações mais proeminentes que podem ter um grande impacto mundial.

Em bancos

Em uma parceria com o Bradesco, que data de 2015, o IBM Watson aprendeu a língua portuguesa e o banco ensinou o sistema a responder perguntas dos próprios funcionários sobre suas rotinas de trabalho. Hoje, o IBM Watson tem respostas para mais de 50 mil perguntas sobre 15 produtos do Bradesco. A tecnologia ajuda a reduzir a quantidade de chamadas do call center do banco, pois oferece informações corretas por compreender o contexto das perguntas.

Com mais treino, o IBM Watson saberá sobre mais de 50 produtos do Bradesco até outubro de 2016, automatizando cada vez mais o atendimento. Essa medida irá melhorar a interação entre as partes e agilizar a resolução de problemas, sejam eles simples como uma consulta de saldo, ou complexos, como o cancelamento de pagamento indevido.

É importante notar que a tecnologia não tira empregos relacionados ao banco, mas, sim, adapta os antigos postos de trabalho para a era da computação cognitiva.

Desde 2012, o IBM Watson realiza um trabalho semelhante junto ao Citigroup nos Estados Unidos. Ele reúne uma vasta gama de informações sobre os clientes e ajuda os atendentes a melhorar o atendimento, mas também auxilia bancários na avaliação de riscos e na identificação de oportunidades.

O banco sul-africano Standart Bank também utiliza a computação cognitiva da IBM para agilizar o atendimento de clientes. O IBM Watson funciona como uma ágil ferramenta proativa de buscas sobre informações não confidenciais de clientes, agilizando o atendimento e tornando-o personalizado.

Na luta contra o câncer

O IBM Watson também ajuda os médicos a definir o tipo de tratamento de câncer para seu pacientes. A IBM e os pesquisadores do Memorial Sloan Kettering Center Cancer (MSK), nos Estados Unidos, criaram o Watson For Oncology, que é utilizado por outros hospitais no mundo.

O médico dá as informações dos pacientes à computação cognitiva, que utiliza seu poder colossal de processamento de dados para gerar sugestões embasadas sobre o melhor tipo de tratamento para cada caso.

Além disso, o IBM Watson também dá ao médico uma estimativa das chances de cura dos pacientes. Com isso, o profissional pode oferecer um tratamento mais humanizado e realista quando a solução for paliativa.

A Cleaveland Clinic também tem um projeto piloto com o uso do IBM Watson para o tratamento de pacientes com câncer. Normalmente, médicos não têm recursos ou tempo hábil para oferecer instruções específicas para cada tipo de câncer com base em calhamaços de estudos científicos e no sequenciamento genético do paciente. Essa é justamente a proposta do programa, que foi iniciado neste ano.

Em abril de 2016, a IBM firmou uma parceria com a American Cancer Society para criar um assistente virtual que dá informações relevantes sobre diferentes tipos de câncer aos pacientes.

IBM Watson utiliza os dados do Cancer.org para gerar as sugestões com embasamento e exatidão.

Na música

A indústria da música também pode tirar proveito das vantagens oferecidas pelo IBM Watson. A empresa britânica Decibel Music Systems é um ótimo exemplo disso. Ela tem um aplicativo chamado MusicGeek, que muda a forma como descobrimos novas músicas. Quando fazemos uma pesquisa, ele gera resultados com base em pesquisas feitas pela plataforma de computação cognitiva na internet e no banco de dados da empresa.

Então, o que o usuário vê é uma lista de recomendações musicais criada com base em diversos parâmetros personalizados e globais. Todo esse processo de análise e descoberta de novas músicas e artistas é feita em segundos, de maneira imperceptível ao usuário, como toda boa tecnologia de ponta deve ser, eficaz e veloz.

Na organização de eventos

Cada evento apresenta um desafio diferente aos organizadores. A computação cognitiva é uma aliada que vem a calhar nesse caso. Ela pode identificar padrões e oferecer soluções rápidas a diversos tipos de demanda. O aplicativo MeCasei, criado por uma startupbrasileira, utiliza as APIs do IBM Watson para oferecer a assistente Meeka. Esse robô para smartphones ajuda os noivos a planejar o casamento.

A Meeka oferece informações personalizadas ao casal e também pode informar sobre a confirmação de presenças, o que é uma grande dor de cabeça e componente-chave para o planejamento do grande dia.

Os usuários podem interagir com a Meeka por texto e tudo pode ser compreendido, mesmo com o uso de expressões populares ou gírias, graças à eficiente capacidade de compreensão de linguagem natural do IBM Watson.

Meeka

 

Nos seguros

Para as seguradoras, a computação cognitiva pode ajudar em uma das tarefas mais desafiadoras: a investigação de um sinistro. O profissional pode informar todos os dados relatados pelo segurado, bem como apresentar a prova ao IBM Watson.

Por meio da análise de todas as informações, ele pode gerar um diagnóstico de veracidade do caso reportado, que deve ser analisado pela seguradora. Essa assistência tem grande importância no momento de investigar fraudes.

Na gastronomia

A própria IBM tem um aplicativo de gastronomia, batizado de Chef Watson. Ele revoluciona a criação de receitas, pois foi treinado para oferecer as melhores combinações químicas entre alimentos que geram sabores que agradam o paladar humano.

Para isso, ele recebeu uma grande base de dados de receitas do site de Bon Appétit, que é um dos maiores do mundo em seu segmento. O Chef Watson está disponível na internet gratuitamente, no idioma inglês. A ferramenta online pode ser usada por chefs de todo o mundo gratuitamente.

Quem quiser, ainda pode levar a experiência para o offline comprando o livro Cognitive Cooking with Chef Watson. A obra reúne 65 receitas com combinações de ingredientes feita por chefs do Institute of Culinary Education (ICE) por meio da plataforma de computação cognitiva da IBM.

Na saúde

A marca de artigos esportivos Under Armor criou um aplicativo com APIs do Watson. Ele usa o seu poder computacional baseado na nuvem para analisar os seus dados de movimentação, sono e dieta diários para oferecer insights comparativos com outros usuários do aplicativo.

Além disso, ele pode analisar a temperatura ambiente para sugerir o melhor momento para uma corrida. Se você tiver uma agenda muito cheia, ele também é capaz de interpretá-la e lhe informar quando será o horário ideal para treinar na academia.

O aplicativo também usa o IBM Watson para sugerir alimentos para a dieta do usuário, com o objetivo de mantê-lo sempre saudável.

IBM-Under-Armour (3)

 

 

No meio ambiente

O IBM Watson é capaz, também, de ajudar a mitigar os dados dos seres humanos ao meio ambiente. A construtora inglesa Democrata utiliza a inteligência artificial para prever o impacto ambiental de suas obras e entender os riscos de seus projetos, como uma nova rodovia.

O processo de análise desse tipo de construção é historicamente lento, pois precisa ser meticuloso. Mas com o auxílio da rápida análise de um enorme volume de dados pelo IBM Watson, a tomada de decisão dos gestores responsáveis pelo projeto se tornou muito mais ágil e automatizada.

A computação cognitiva também ajuda a melhorar o meio ambiente em grandes centros urbanos. Em Pequim, na China, a empresa Green Horizon usa a inteligência artificial para antever a severidade do impacto da poluição na qualidade do ar. Com isso, são geradas recomendações sobre a operação de fábricas e uso de carros na capital chinesa.

Mais de 4 mil pessoas morrem por dia no país, por conta da alta taxa de poluição do ar, e a análise de dados oferecida pelo IBM Watson tem a capacidade de reduzir ao máximo a quantidade de pessoas impactadas pelo problema ambiental. O sistema, que utiliza informações fornecidas pelo Gabinete de Proteção Ambiental de Pequim, se mostrou 30% mais eficiente do que os métodos usados anteriormente.

Como você pode notar, nem sempre nos damos conta das grandes ferramentas que estão por trás dos nossos aplicativos, sejam eles pessoais ou corporativos – mas a tecnologia de ponta está lá e atua como um super-humano. Essa é a computação cognitiva, uma forma mais humana de encarar a computação no nosso dia a dia.