Rachaduras recentemente detectadas em um antigo módulo da Estação Espacial Internacional (ISS) podem piorar com o tempo, de acordo com especialistas. Uma nova rachadura descoberta no módulo russo mostra que ele pode estar desgastado.

“Fissuras superficiais foram encontradas em alguns lugares do módulo Zarya”, disse Vladimir Solovyov, diretor de voo do segmento russo da ISS, à agência de notícias RIA, conforme relatos da Reuters. “Isso é ruim e sugere que elas começarão a se espalhar com o tempo.”

Não se sabe se as rachaduras, detectadas pelos cosmonautas, estão atualmente vazando oxigênio para o espaço. Zarya, ou Bloco Funcional de Carga (FGB), foi a primeira seção da ISS a entrar em órbita, tendo sido lançada em 20 de novembro de 1998. O módulo mede 12,6 metros de comprimento e 4,1 metros de largura.

Solovyov já havia alertado anteriormente sobre o estado de envelhecimento do segmento, dizendo que alguns componentes precisam urgentemente de substituição e que a Roscosmos (agência espacial russa) deve esperar uma “avalanche” de equipamentos quebrados após 2025.

Acontece que a agência já está atendendo a um fluxo constante de questões técnicas relacionadas à ISS.

O segmento russo tem sido como o queijo suíço, tendo gerado uma série de vazamentos de ar incômodos – mas não fatais. Um pequeno vazamento de ar datado de setembro de 2019 foi finalmente corrigido em março de 2021, mas outro vazamento apareceu no módulo de serviço do Zvezda em julho passado. Em agosto de 2018, outro vazamento foi rastreado até a espaçonave Soyuz MS-09 ancorada na ISS, com oficiais russos atribuindo a causa a uma falha de fabricação ou sabotagem. Um banheiro quebrado e um sistema de fornecimento de oxigênio defeituoso também estão entre alguns outros problemas recentes. Sem mencionar o módulo Nauka recém-chegado, que inadvertidamente fez a ISS girar 1,5 vezes depois que seus propulsores dispararam inesperadamente.

Assine a newsletter do Gizmodo

O vice-primeiro-ministro russo, Yuri Borisov, declarou oficialmente que a ISS já ultrapassou sua data de validade e que sua condição atual “deixa muito a desejar”. O futuro da Rússia com a ISS não está claro, já que o país ameaçou deixar a colaboração internacional em 2025. Como a China, a Rússia poderia construir sua própria estação espacial. Na verdade, e como relata a BBC, o primeiro módulo central de uma nova estação espacial russa já está em desenvolvimento, de acordo com Dmitry Rogozin, chefe da Roscosmos.