Especialistas estão dizendo que não deve haver diferenças entre homens e mulheres quando se trata de beber com segurança. Na quinta-feira (16), um comitê de especialistas reunido pelo governo dos EUA para trabalhar na atualização das Diretrizes Dietéticas para Americanos divulgou suas recomendações. Entre elas, está a que diz que homens e mulheres devem limitar o consumo de álcool a um drinque nos dias em que decidirem beber, uma redução em relação às duas doses que os homens eram previamente aconselhados a tomar.

As Diretrizes Dietéticas dos EUA para Americanos têm como objetivo fornecer uma linha de base de aconselhamento nutricional para as pessoas. Elas também influenciam políticas e programas federais que envolvem alimentação e nutrição, como programas de merenda escolar. As diretrizes são atualizadas a cada cinco anos por meio de um esforço conjunto do Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) e do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA.

Como parte desse processo, um comitê de especialistas externos é solicitado a revisar e analisar os avanços científicos mais recentes da nutrição e oferecer possíveis mudanças nas diretrizes. O relatório do trabalho foi divulgado nesta quinta (16) no site oficial para orientações nutricionais.

A sabedoria convencional diz que os homens podem tolerar com segurança mais álcool do que as mulheres, possivelmente devido ao seu tamanho corporal médio maior.

Porém, evidências cada vez mais fortes estão começando a mostrar que os limites do consumo seguro são mais baixos do que se acreditava — “seguro” aqui quer dizer que não aumentará significativamente o risco de doenças cardíacas, câncer, lesões, violência e outros problemas de saúde associados a álcool.

Os homens também tendem a sofrer os maiores danos causados ​​por distúrbios relacionados ao álcool e têm maiores taxas de compulsão e consumo crônico da substância.

De acordo com as recomendações anteriores, o comitê não aconselha as pessoas a começarem a beber pensando que isso pode trazer benefícios à saúde. Eles também afirmam que agora existem evidências para “apertar” as diretrizes para homens e aconselham que homens e mulheres bebam apenas uma vez por dia quando bebem.

“Como nação, nossa saúde coletiva seria melhor se as pessoas bebessem menos, no geral”, disse à NBC News Timothy Naimi, membro do comitê e epidemiologista especializado em pesquisa de álcool da Universidade de Boston.

O comitê também recomendou que dietas saudáveis ​​deveriam ter apenas 6% ou menos de suas calorias derivadas de açúcares adicionados, o que é uma mudança em relação aos 10% recomendados anteriormente.

Curiosamente, eles observaram que há algumas evidências limitadas sugerindo refrigerantes diet e produtos similares estão associados à redução da obesidade em adultos, mas não há evidências suficientes para saber se esses efeitos em comparação com bebidas açucaradas são encontrados em crianças.

As diretrizes, pela primeira vez, também incluirão recomendações para crianças menores de 2 anos. Nestas, o comitê concluiu que não há evidências suficientes para apoiar o amplo uso de suplementos de ferro para bebês sem deficiência confirmada ou suplementação de vitamina D acima de 400 unidades internacionais (também conhecido como UI, uma medida comum para dosagem de vitaminas).

Por outro lado, como em outras organizações de saúde pública, continuam as recomendações que dizem que as mulheres grávidas e que amamentam podem se beneficiar da ingestão de peixe, desde que seja relativamente baixo em mercúrio e alto em ácidos graxos ômega-3.

As recomendações não são vinculativas e podem mudar um pouco após outras deliberações entre especialistas federais e outras repartições públicas antes que as diretrizes sejam divulgadas no final do ano. Além disso, é claro, são apenas diretrizes, e muitos americanos, segundo os estudos, não são muito bons em segui-las.

Mas se você procura uma justificativa para reduzir o consumo de álcool, aqui ela está.