Em algum lugar do Marshall Space Center, num hangar bege sem identificação, a NASA está construindo uma nave espacial. Uma nave feita de peças que sobraram, restos de equipamentos das Estações Espaciais Internacionais, sobras de cilindros de alumínio-lítio e até mesmo mockups saídos de museus. Um dia, esse pode ser o veículo que levará o homem a Marte.

Engenheiros da NASA, liderados por Paul Bookout, estão falando sobre isso no 5º Simpósio Memorial Wernher von Braun que está acontecendo agora, em Huntsville, Alabama. A equipe de Bookout está trabalhando em Houston com outra, do Johnson Space Center. Essa equipe é liderada pelo astronauta Benjamin Alvin Drew, um coronel da Força Aérea dos Estados Unidos que esteve duas vezes no espaço, incluindo a última missão do ônibus espacial Discovery.



De acordo com Bookout, os engenheiros estão usando o habitat da nave espacial para estudos de volume. “Os alojamentos terão o tamanho certo, o compartimento de lixo e de higiene, a cabine de comando, a área de exercícios — estamos buscando tudo isso para uma permanência longa.”

O modelo da espaçonave que Bookout e seus colegas estão construindo é uma versão aproximada do habitat que deve abrigar os astronautas que irão a Marte pela primeira vez. Ele incluiu alojamentos que são duas vezes maiores que os da Estação Espacial Internacional, com tudo que eles precisam para sobreviver, incluindo um estoque de comida.

Há também um compartimento que serve como estufa em que eles poderão cultivar plantas durante a viagem. Igual nos filmes, sabe?

Escudos d’água e o replicador 3D do Star Trek

O interior da espaçonave é cercado por um muro d’água, que vai proteger os astronautas da radiação. A água é um grande isolante contra os perigosos raios cósmicos da galáxia e erupções solares que podem matar os tripulantes depois de um longo período no espaço.

Mas a coisa mais incrível deve ser o replicador. Não vai ser como o do Star Trek, mas sim uma impressora 3D que fará ferramentas e peças que forem necessárias, reciclando lixo e outros materiais descartados, como ferramentas velhas.

Bom saber que os planos da NASA para marte continuam avançando, mesmo que as verbas dependam de outra eleição e enfrentem cortes. É um passo adiante, mesmo sendo feito de remendos e peças de museu. [Aviation Week via NASA]