Nem Photoshop, nem truques espertos, e certamente nenhum tipo de viagem no tempo foram usados aqui. Em vez disso, essa foto tirada na rússia há 100 anos usou o Harris Shutter Effect, que cria essas cores fortes e saturadas que parecem um tanto com as fotos atuais.

Primeiro, um pouco de contexto sobre a foto. As três camponesas foram clicadas pelo fotógrafo russo Sergey Prokudin-Gorsky em 1909, famoso por ter tirado a única foto colorida revelada até hoje de Leo Tolstoy, em 1908. Ele chamou a atenção do czar Nicholas II, que o contratou para documentar a vida na Rússia em cores – especificamente, usando o Harris Shutter Effect.

Criada pela Kodak, o sistema criava cores brilhantes pela reexposição de um frame em três filtros (vermelho, verde e azul). Qualquer um que conheça as câmeras de lomografia – ou qualquer câmera que permita exposições múltiplas – deve entender rapidamente a ideia, onde o objeto clicado é fotografado várias vezes, apenas mudando o filtro de cor em cada uma das imagens. O resultado, como você pode ver acima e em várias outras disponíveis no site da Biblioteca do Congresso americano, parece algo tão brilhante e moderno, como se a tecnologia de hoje tivesse sido usada há um século. Ou, pelo menos, mostra a variedade de roupas e suas cores em épocas que os registros eram apenas em preto e branco. 

A foto abaixo, vinda da Wikipedia, mostra como a técnica de fotografia de Prokudin-Gorsky pegava três fotos individuais monocromáticas com uma exposição de cerca de 3 segundos, e com filtros de cores diferentes, ele junta tudo em uma foto, projetando os três slides juntos. É verdade que esse exemplo foi construído em uma foto digital com tecnologia moderna usando camadas digitais, mas o resultado não é muito diferente do que Prokudin-Gorsky fez há um século, quando as pessoas se amontoavam na frente de um projetor para assistir a mágica das fotografias em telonas. [Library of Congress via Big Picture via Laughing Squid via Photojojo]