A United Space Alliance decidiu parar de usar o Windows XP em todos os computadores a bordo da Estação Espacial Internacional, em favor do Linux – para garantir que os sistemas sejam “estáveis e confiáveis”.

A decisão vai fazer “dúzias de laptops” mudarem do Windows XP para o Debian 6, segundo o ExtremeTech. Já existem sistemas com o Linux na ISS, mas a partir de agora a Microsoft está banida. Keith Chuvala, da United Space Alliance, explicou que a mudança para o Linux vai dar “controle interno”.

Com a adoção do Debian 6, nenhum computador na ISS vai usar Windows. O estranho é pensar que as únicas máquinas na estação espacial com o sistema da Microsoft usam uma versão lançada em 2001. E a presença do Windows XP nas máquinas de lá já causou problemas no passado: em 2008, um cosmonauta russo levou um laptop infectado com o worm W32.Gammima.AG que se espalhou rapidamente pelos outros equipamentos que usavam o Windows. Com o Linux, isso fica praticamente impossível de voltar a acontecer.

A alteração para o Linux também não deve ser vista com surpresa, principalmente considerando que a comunidade científica em geral prefere ele ao Windows. O Grande Colisor de Hádrons do CERN é controlado pelo Linux assim como estações da NASA e da SpaceX. Como ele é um sistema aberto, pode ser facilmente adaptado para as necessidades específicas de cada experimento.

Mas agora a ISS tem um desafio: substituir todos os softwares de Windows usados no momento – que vai de tudo, desde visualização de inventário a experimentos – para o Linux. Só esperamos que não usem o WINE para isso. [Extreme Tech]

Imagem via NASA