Este deve ser o santo graal da arte hacker: um drone barato, caseiro, que pode quebrar redes Wi-Fi e transformar computadores em zumbis com o uso de controles remotos. A melhor parte para os vilões: ele faz com que o ataque não seja rastreável.

O dron SkyNET é um quadcóptero Parrot de US$300 modificado com um computador Linux, um cartão 3G, uma unidade GPS e dois cartões Wi-Fi. Entenda como ele funciona:

Controlado por um botmaster via 3G, o drone ou um grupo de drones voa por uma área urbana em busca de redes Wi-Fi. Quando eles as encontram, eles automaticamente tentam quebrá-la. Quando eles conseguem entrar na rede, eles buscam computadores pessoas que possam ser atacados. Qualquer computador que caia no ataque se transforma em um zumbi sem que o usuário tenha ideia disso.

Após o início do processo de infecção, os hackers podem controlar facilmente os zumbis de forma remota por meio da conexão Wi-Fi entre o drone e o servidor. Os zumbis podem ser usados em ataques por meio de suas conexões de internet, recebendo comandos da SkyNET que não podem ser traçados e ligados ao botmaster:

Voos subsequentes do drone são feitos para ativar um comando de controle sem fazer conexão alguma entre o botmaster e a botnet via internet. Fazer engenharia reversa na botnet ou enumerar os bots não revela a identidade do botmaster.

É uma ideia perfeita. Custo total: US$ 600. Com força de vontade e economia, qualquer um pode fazer um desses voar.

Felizmente o nome do aparelho já nos impede de muitas piadas, não é mesmo, Sarah Connor? [SkyNET Paper (PDF) via Cnet]