As agências espaciais NASA e ESA se uniram para medir a velocidade de um buraco negro, cuja massa é 2 milhões de vezes maior que a do nosso Sol, e que gira.

A gravidade do buraco negro impede que até mesmo a luz escape dele, mas saber que um deles também gira quase à velocidade da luz é espantoso.

Usando dois observatórios espaciais de raios-X, as agências mediram a rotação desse buraco negro, que fica no centro da galáxia NGC 1365.

E ele gira quase tão rápido quanto a teoria da gravidade de Einstein permite: isto é, quase à velocidade da luz. Fiona Harrison, uma das pesquisadoras envolvidas no projeto, explica:

“Nós podemos detectar matéria à medida que ela gira em um buraco negro: usamos raios-X emitidos a partir de regiões muito próximas dele. E a radiação que vemos é deformada e distorcida pelos movimentos das partículas e da gravidade incrivelmente forte do buraco negro.”

A partir disso, eles calculam sua taxa de rotação: 84% da velocidade da luz, ou cerca de 900.000.000 km/h. O estudo foi publicado na revista Nature.

Este é um grande avanço na compreensão dos buracos negros. Na verdade, a descoberta é consequência de se entender como raios-X são distorcidos na presença de buracos negros. Isto também pode ser aplicado a outros corpos celestes semelhantes, ajudando astrônomos a descobrir como galáxias se formam e evoluem. [Nature via NASA e io9]