A não ser que seu planeta natal seja Kripton, ver através de objetos sólidos é um grande desafio. No entanto, com esses olhos infravermelhos, militares e empresas de produção de energia poderão detectar perigos escondidos em tempo real.

Sensores hiperespectrais (HSI) coletam dados visuais em uma ampla faixa do espectro eletromagnético e, em seguida, junta tudo para fornecer uma visão mais completa do que você está olhando – incluindo sólidos, gases e objetos obscuros ou ocultos. Um comunicado da Exelis explica:



O sensor e sistema de processamento integrado oferece informações em tempo real sobre a composição de gases e sólidos, o que pode ser crítico na detecção de dispositivos explosivos improvisados ou vazamentos de contêineres e dutos usados em diversas indústrias como petróleo, gás e produtos químicos, entre outros.

No entanto, o problema com a geração atual de sensores HSI é que todos precisam ser resfriados bem abaixo de zero para detectar com precisão emanação de gases e fumos – como aqueles escapando de dispositivos explosivos.

“Fomos capazes de superar requisitos significativos de resfriamento para garantir que o sensor consiga coletar dados utilizáveis”, explica Munda Suchan, diretor de identificação material na Exelis. “Isso possibilita novos usos para os sistemas HSI, como observar áreas restritas a partir de aeronaves. O desenvolvimento do sensor HSI, junto com o processamento analítico em tempo real, soluciona problemas identificados por consumidores e é uma peça-chave no foco estratégico da empresa em inteligência, vigilância, reconhecimento e análise.”

cjb2wmp5tdamtrhlvlur

O novo sistema de sensores não precisa estar estaticamente preso à fuselagem do avião, o que faria com que a aeronave precisasse voar diretamente por cima do que ela está inspecionando. Pode não parecer um problema grande para quem observa oleodutos, mas é para vigiar campos de prisioneiros na Coreia do Norte. Felizmente, o novo sistema da Exelis pode ser montado em um gimbal estabilizado para evitar incidentes diplomáticos.

O novo sistema ainda está passando por testes de confiabilidade, mas deve entrar em serviço em algum momento nos próximos meses. [Exelis via Gizmag]