Você está olhando para os pulmões da Terra, os produtores da maioria do oxigênio do planeta, responsáveis por metade de toda a atividade fotossintética. E eles não são árvores, e sim fitoplânctons. E eles estão brilhantes nesse momento, no Mar de Barents. Confira comigo no replay numa imagem mais aberta:

E agora, pega esse zoom:

Sim, essa coisinha é a fonte mais básica de vida em nosso mundão azul. Ele não só transforma a energia do sol e gera oxigênio – é também a base de todas as cadeias alimentares dos oceanos e águas doces. O que basicamente significa que essa é a fonte de tudo que existe.

Nessa imagem, as “variações na cor são causadas por conta das diferentes espécies e concentrações do fitoplâncton. As cores mais azuladas são provavelmente dos cocolitoforídeos, um tipo de fitoplâncton que é revestido por uma concha calcária que reflete luz, transformando o oceano em uma massa azul turquesa leitosa. Os cocolitoforídeos dominaram o Mar de Barents em agosto. As sombras verdes são provavelmente as diatomáceas, outro tipo de fitoplâncton.”

Aposto que Claude Monet amaria ter visto e pintado isso. [NASA Earth Observatory via The Scuttle Fish]