A Wikipédia é uma organização voluntária dedicada à nobre meta de criar conhecimento descentralizado. Mas à medida que a comunidade evoluiu ao longo do tempo, ela se afastou cada vez mais de seus primeiros ideais igualitários, de acordo com um novo estudo publicado na revista Future Internet. Na verdade, esses sistemas geralmente acabam se parecendo muito com burocracias do século XX.

>>> A Wikipédia fica mais agradável e fácil de navegar com o WikiWand
>>> Uma pessoa escreveu quase 10% de todos os artigos da Wikipedia

O coautor Simon DeDeo, cientista de complexidade na Universidade de Indiana (EUA), compara os primeiros usuários da Wikipédia – a maioria deles vindos da cultura Usenet dos anos 90 – a figuras históricas como Rousseau, Voltaire e Thomas Jefferson. “Mas o que acontece quando uma pequena fantasia libertária tem que crescer?”, diz ele ao Gizmodo.

Para descobrir isso, ele e Bradi Heaberlin – pós-graduanda na Universidade de Indiana – decidiram examinar o surgimento da hierarquia social e das normas de comportamento online entre os editores da Wikipédia.

Eles examinaram 15 anos de dados da Wikipédia, envolvendo dezenas de milhares de indivíduos, de 2001 a 2015. A conclusão: ela “se parece com um sistema universitário, ou como a General Electric, ou como a operadora AT&T”, diz DeDeo.

O que torna a Wikipédia um caso tão bom para testes é que ela foi fundada em janeiro de 2001, quando a internet tinha uma fração do alcance atual. É um conjunto de dados enorme, com mais de 5 milhões de artigos, milhões de páginas “Discussão”, e mais de 587 milhões de eventos de edição. Isso permite rastrear a forma como ideias abstratas complicadas – como honestidade, justiça e autoridade – surgem e evoluem numa comunidade como a Wikipédia.

A lei de ferro

Uma das descobertas mais impressionantes é que, mesmo na Wikipédia, vale a chamada “lei de ferro da oligarquia” – ou seja, o domínio por uma pequena elite.

O sociólogo alemão Robert Michels cunhou a frase em 1911, enquanto estudava os partidos políticos italianos, e isso o levou a concluir que a democracia estava condenada. “Ele acabou trabalhando para Mussolini”, diz DeDeo – que, claro, aprendeu sobre Michels via Wikipédia.

“Você começa com um sistema democrático descentralizado, mas com o tempo começa a emergir uma classe de liderança com acesso privilegiado à informação e às redes sociais”, explica DeDeo. “Os interesses deles começam a se afastar do resto do grupo. Eles já não têm as mesmas necessidades e objetivos. Assim, não só eles vêm para ganhar mais poder dentro do sistema, como eles podem usá-lo de maneiras que entram em conflito com as necessidades de todos os outros.”

Ele e Heaberlin descobriram que o mesmo aconteceu com a Wikipédia. As normas fundamentais que regem a comunidade foram criadas por cerca de 100 usuários – mas a comunidade agora conta com cerca de 30.000.

Um estudo publicado em janeiro na revista Physical Review E parece apoiar esta conclusão. Físicos do KAIST (Instituto Avançado de Ciência e Tecnologia da Coreia do Sul) descobriram que um número relativamente pequeno de editores da Wikipédia exerce uma grande influência sobre o site.

E assim como prediz a análise de DeDeo e Heaberlin, a desigualdade na edição está aumentando ao longo do tempo. É agora bastante raro para um recém-chegado invadir os escalões superiores dos chamados “supereditores”.

Isto, por sua vez, pode estar dificultando ainda mais o crescimento da comunidade. Jinhyuk Yun, autor do estudo, disse à Physics Focus: “já existem relatos de que o crescimento da Wikipédia está diminuindo, e nossa observação indica que isso vai continuar, a menos que algo seja feito a respeito”.

O que fazer?

O trabalho dos editores é bastante necessário para evitar vandalismo. Isso ficou bem claro durante as eleições 2014: computadores do governo estavam editando artigos para criticar a oposição política, mas essas edições eram revertidas em horas ou até minutos.

No geral, à medida que os administradores lutaram para manter a qualidade do site, eles criaram um ambiente tóxico para novos voluntários. E, como a comunidade segue a “lei de ferro da oligarquia”, corremos o risco de um pequeno grupo distorcer a enciclopédia para se adequar às suas opiniões ou motivações. Por exemplo, no ano passado, 381 editores foram banidos porque recebiam dinheiro de empresas (envolvendo até extorsão) para impedir que as páginas delas fossem vandalizadas.

Um estudo de 2013 feito por Aaron Halfaker, cientista-sênior de pesquisa da Fundação Wikimedia, mostra a ascensão e queda no número de editores da Wikipédia em inglês:

decline
Imagem: Aaron Halfaker et al.

E o mais preocupante: um salto na proporção de boas edições feitas por usuários novos, mas que foram removidas – isso foi de 6% para mais de 20%, mais ou menos na época em que a Wikipédia começou a perder editores.

newbie_rejection
Imagem: Aaron Halfaker et al.

Este problema do “delecionismo” – prática de remover conteúdo que não atenda aos critérios dos editores – é reconhecido em um artigo (não-oficial) na própria Wikipédia: “a filosofia do delecionismo tem o efeito colateral de acabar com muito conteúdo bom juntamente ao ruim – ninguém fica animado em participar de um projeto quando escreve algo relevante e vê alguém desfazer tudo”.

O texto sugere algumas possíveis soluções, como a adoção de árbitros para decidir se edições serão aceitas ou revertidas; e uma forma de “curtir” ou “descurtir” edições para medir a confiabilidade de um usuário e editor.

Halfaker preparou uma solução na forma de inteligência artificial. O ORES (Serviço Objetivo de Avaliação de Revisões) usa um conjunto de algoritmos open-source de aprendizagem de máquina para identificar automaticamente se uma edição é vandalismo, ou se é uma mudança bem-intencionada. O ORES vem sendo usado desde o ano passado na Wikipédia em inglês, português, turco e persa.

Mas a Wikipédia pode fazer mais. Jinhyuk Yun recomenda o recrutamento ativo de novos membros para quebrar o monopólio que aqueles poucos supereditores têm sobre o gerenciamento de conteúdo. DeDeo concorda: “um mundo social tem de se abrir a fim de prosperar”.

É algo semelhante ao que Ser Amantio di Nicolao disse em janeiro, quando a Wikipédia completou 15 anos. Ele é o campeão de edições – foram mais de 1,5 milhão! – e afirma ao Vocativ: “as pessoas agora parecem ser menos gentis com novatos do que me lembro dos meus tempos antigos. A experiência de um novo editor ficou muito mais difícil desde que comecei. Às vezes, acho que se eu estivesse começando agora, eu não estaria nem perto de realizar um milhão de edições.”

A evolução da Wikipédia

A análise de DeDeo e Heaberlin demonstra que a Wikipédia é bastante conservadora do ponto de vista evolutivo: ela preserva os aspectos que funcionam desde o início.

À medida que a comunidade adicionou novos membros e cresceu rapidamente, 89% de suas normas fundamentais – “não escreva em letras maiúsculas”, “seja neutro” – permaneceram iguais. Ninguém derruba uma norma existente, e ninguém cria uma nova norma que se torna tão dominante como as originais. Se uma norma em particular era importante em 2001, é provável que ela ainda seja em 2015.

Os pesquisadores identificaram quatro “vizinhanças” centrais vagamente organizadas em torno da qualidade de artigos, políticas de conteúdo, colaboração e administradores.

Ao longo do tempo, estas quatro comunidades centrais se tornaram cada vez mais separadas e interagiram cada vez menos. Em uma rede complexa, isto é conhecido como dissociação.

futureinternet-08-00014-g004
Imagem: S. DeDeo e B. Heaberlin

Primeiro, as normas fundamentais são estabelecidas por membros fundadores da comunidade. Aos poucos, elas se tornam mais abstratas e universais – uma forma de racionalizar a instituição. “Elas funcionam menos para regular o comportamento e mais para justificar o sistema e dar a ele um sentido de legitimidade”, diz DeDeo.

Então, ao invés do pragmática “Não escreva em letras maiúsculas”, a norma se torna “Seja civil”. Com o tempo, estas normas fundamentais alcançam quase um status de mito. E, inevitavelmente, elas começam a entrar em conflito umas com as outras.

No entanto, as tentativas de resolver esses conflitos são raras: em vez disso, surge o tribalismo. Para alguns usuários da Wikipédia, o aspecto mais importante da comunidade é a colaboração e respeito mútuo. Outros valorizam informações neutras e verificáveis, ou veem a Wikipédia como uma espécie de repositório “arca de Noé” de informação para depois do colapso da civilização. Aqueles obcecados com a política de conteúdo podem pensar que o aspecto mais importante da Wikipédia é ser aberta e compartilhada livremente.

Isso é o oposto do que DeDeo esperava quando ele e Heaberlin iniciaram o projeto. Ele pensou que, uma vez que as normas fundamentais iniciais fossem estabelecidas, todo mundo iria se reunir como uma sociedade – um evento chamado “nucleação de rede social”. Em vez disso, “os primeiros usuários deixaram estas sementes, todos se agruparam em torno delas, mas as sementes estavam em diferentes vizinhanças”, diz ele. “E ao longo do tempo, essas sementes foram separadas umas das outras.”

DeDeo e Heaberlin realizaram uma análise puramente matemática de grandes tendências nos dados da Wikipédia, ligando esta abordagem quantitativa com a sociologia e ciência política. O próximo passo é colaborar com antropólogos culturais para realizar uma leitura mais atenta.

“Nós precisamos entender como esses sistemas funcionam se vamos compreender como será a economia do futuro. Esses sistemas não têm leis, e sim tradições e normas”, diz DeDeo sobre a importância deste tipo de pesquisa. “Eu acho que nós estamos investindo em pesquisas sobre algo que, daqui a 200 anos, pode ser o maior problema no mundo, se não nos destruir antes.”

[Future Internet]

Colaborou: Felipe Ventura. Foto por Stefano Mara/Flickr.