Redes Wi-Fi públicas desconhecidas são um dos grandes clichês para ser vítima de infecção ou roubo de dados. Mas, tão certo quanto o fato de que as pessoas vão continuar usando senhas idiotas, deixar uma rede sem fio aberta é certeza de que haverá gente que tentará se conectar.

>>> Redes Wi-Fi podem identificar você através das paredes
>>> A nova rede Wi-Fi pública de Nova York é indecentemente rápida

Para provar isto, pesquisadores da Avast configuraram um monte de redes Wi-Fi no aeroporto de Barcelona, na Espanha, com o objetivo de armar uma cilada para as pessoas que passam por lá para ir ao Mobile World Congress. Usando nomes como “Starbucks”, “Airport_Free_Wifi_AENA” e “MWC Free WiFi”, os pesquisadores capturaram dados de usuários em quatro horas. Ao todo, foram 8 milhões de pacotes de dados coletados.

Os pesquisadores conseguiram acesso a um monte de dados das vítimas, como sites que elas estavam navegando e quais aplicativos estavam instalados em seus smartphones. Se eles tivessem sido mais maldosos, também conseguiriam roubar dados sensíveis ( e não encriptados) transmitidos pelos usuários.

Alguns dos achados desse período de “roubo de dados” dos passageiros:
– 50,1% tinham um dispositivo Apple, 43,4% tinham um dispositivo Android e 6,5% um dispositivo Windows Phone;
– 61,7% buscaram informações no Google ou checaram seus emails no Gmail;
– 14,9% visitaram o Yahoo;
– 2% visitaram o Spotify;
– 52,3% têm o app do Facebook instalado, e 2,4% o do Twitter.

Os resultados não trazem nenhuma surpresa: eu mesmo já me conectei a redes de aeroportos quando precisei e eu nunca usei um aplicativo de VPN no meu smartphone. No entanto, não deixa de ser um lembrete para evitarmos de nos conectarmos a redes desconhecidas. Ah, e se for se conectar, não seja louco de acessar sua conta bancária.

[Avast]