O Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos anunciou, nesta quinta-feira (17), um investimento de US$ 3 bilhões para acelerar os testes, o desenvolvimento e a fabricação de medicamentos antivirais para tratar a Covid-19.

Este plano, denominado Programa Antiviral para Pandemias, responderá à necessidade urgente de medicamentos para salvar a vida daqueles que lutam contra a infecção. Além disso, o programa também apoiará a pesquisa de remédios inteiramente novos — não apenas para o coronavírus, mas para vírus que podem causar futuras pandemias. Se tudo der certo, algumas das primeiras pílulas podem estar prontas no final do ano.

“Novos antivirais que previnem doenças graves e morte por Covid-19, especialmente medicamentos orais que podem ser tomados em casa no início da doença, seriam ferramentas poderosas para combater a pandemia”, disse, em nota, o Anthony Fauci, médico chefe conselheiro do presidente Biden. “Por meio de colaborações multidisciplinares entre cientistas líderes na academia e na indústria, este investimento ajudará a inovação médica e o desenvolvimento de novos tratamentos.”

Até agora, apenas um antiviral demonstrou benefício relativo para as pessoas nos hospitais: o remdesivir. Originalmente investigado como uma cura potencial para o Ebola, o medicamento parece encurtar o curso do Covid-19 quando administrado por via intravenosa aos pacientes. Em outubro, ele se tornou o primeiro – e até agora, o único – medicamento antiviral a obter a aprovação total do FDA (agência regulatória norte-americana) para tratar a doença. No entanto, o desempenho do remédio deixou muitos pesquisadores desapontados. Em novembro, a Organização Mundial da Saúde recomendou o não uso do medicamento.

Este plano acelera e expande os esforços contínuos do governo estadunidense para apoiar os ensaios clínicos e o avanço de terapias promissoras. Por meio de uma parceria público-privada chamada ACTIV (Accelerating Covid-19 Therapeutics and Vaccines), 19 agentes terapêuticos foram priorizados para testes em pacientes ambulatoriais e internados com Covid-19.

“Com a liderança do presidente, este governo vacinou milhões de pessoas. Mesmo com vacinas muito eficazes, algumas pessoas podem permanecer vulneráveis ​​ao vírus, incluindo pessoas imunossuprimidas ou não vacinadas”, disse David Kessler, Diretor de Ciência da Resposta Covid-19 da Administração Biden. “Um medicamento antiviral oral de fácil administração seria uma parte importante de nosso arsenal terapêutico que complementaria o grande sucesso de nossos esforços de vacinação”.

Assine a newsletter do Gizmodo

Como parte do plano anunciado hoje, o National Institute of Health (NIH) avaliará, priorizará e avançará os candidatos antivirais para os ensaios clínicos de Fase 2. O plano fornece mais de US $ 300 milhões para pesquisa e apoio de laboratório, quase US $ 1 bilhão para avaliação pré-clínica e clínica e quase US $ 700 milhões para desenvolvimento e fabricação dos medicamentos.

[NYTimes]