A TSA, órgão americano que controla a segurança dos aeroportos, tem um novo alvo: celulares e outros aparelhos eletrônicos com a bateria em 0%. Em certos aeroportos fora dos EUA, antes mesmo de você embarcar no voo, vale a regra: se o dispositivo não ligar, ele não entra no avião – e talvez você não entre também.

>>> As coisas malucas (e perigosas) que a TSA encontrou nos aeroportos americanos

Jeh Johnson, secretário do Departamento de Segurança Interna dos EUA, diz que a nova medida será posta em prática em certos aeroportos no exterior com voos diretos rumo aos EUA. A agência não informa quais serão afetados; segundo a BBC, aeroportos no Reino Unido, Alemanha e França seguirão a regra americana.

Neles, os dispositivos que não puderem ser ligados serão confiscados, e os passageiros poderão passar por uma “triagem adicional”. A Associated Press diz que funcionários da inteligência americana vêm se preocupando que terroristas encontrem novas formas de trazer explosivos não-detectáveis para aviões. Por exemplo, a carcaça de celulares poderia esconder uma bomba, mas neste caso ele não iria funcionar; por isso, a TSA pede que você o ligue.

Ou seja, além de ter que tirar o cinto, o sapato, e não levar na bagagem de mão nenhum frasco que exceda 100 ml de líquido, agora você tem que se certificar de que seu celular, laptop ou tablet está carregado o suficiente para o agente do aeroporto não achar que é uma bomba. Pena que não dá para ir de ônibus aos EUA. [APBBC via BoingBoing]

Imagem: Shutterstock/ChameleonsEye