O Facebook “decidiu não revelar” sua linha de alto-falantes inteligentes, que teria uma assistente digital e funcionalidades de chat por vídeo. A decisão foi tomada depois da rede social perceber que se anunciasse o dispositivo em sua conferência de desenvolvedores em maio, a F8, muitas pessoas perceberiam que suas casas passariam a ser vigiadas por Mark Zuckerberg.

• Uma lista de todo mundo que está pistola com o Facebook
• Facebook guarda registro de ligações e mensagens de texto no Android

De acordo com a Bloomberg, devido às consequências do escândalo de dados com a Cambridge Analytica – em que a consultoria se associou a um aplicativo para construir “perfis psicométricos” de 50 milhões de usuários sem o consentimento deles – o Facebook decidiu que essa não é a hora de apresentar novos produtos.

O próprio Zuckerberg foi convidado a testemunhar ao Congresso dos EUA sobre o incidente e talvez encontre dificuldades em explicar por que o Facebook permitiu que os desenvolvedores de aplicativos acessassem dados abrangentes sobre usuários que não consentiram sobre isso. A Federal Trade Commission também está investigando se as práticas da companhia violam um acordo de regulamentação de 2011, algo que poderia causar algumas multas vultuosas.

Realmente parece não ser a melhor hora para apresentar uma linha de produtos que estaria na casa das pessoas para coletar e monetizar os dados dos usuários. Escreve a Bloomberg:

Os novos produtos de hardware da companhia, alto-falantes conectados com assistentes digitais e funcionalidades de chat em vídeo, estão passando por uma revisão profunda para garantir que realizem as decisões corretas em relação aos dados dos usuários, nos disseram fontes que pediram para não serem identificadas por estarem discutindo planos internos. Embora a expectativa fosse de que o hardware começasse a ser vendido mais para frente, a empresa queria mostrar os dispositivos no maior encontro anual de desenvolvedores do Facebook, completaram.

Os dispositivos fazem parte do plano do Facebook para se tornar mais envolvido com o dia-a-dia dos usuários, utilizando inteligência artificial – seguindo um caminho pavimentado pela Amazon e seus alto-falantes Echo.

A reportagem da Bloomberg também menciona que o Facebook “já havia encontrado em testes de grupos focais” que os usuários estavam cautelosos com um “dispositivo com a marca do Facebook em suas salas de estar”.

De qualquer maneira, alto-falantes conectados cuja finalidade é, pelo menos parcialmente, coletar dados dos usuários já levantam algumas preocupações. E o Facebook está andando na corda bamba. A empresa afirma que novas regras de privacidade serão anunciadas na conferência de desenvolvedores em maio. O Facebook perdeu cerca de US$ 80 bilhões em valor de mercado desde que o escândalo com a Cambridge Analytica foi revelado.

[Bloomberg]

Imagem do topo: AP