De acordo com um novo rumor da CNBC, o Facebook espera lançar um teste de seu antigo projeto de moeda digital até o final deste ano. A criptomoeda, anunciada pela primeira vez em 2019 como Libra e depois renomeada para Diem, agora será atrelada ao dólar estadunidense.

O Facebook anunciou planos para o Diem pela primeira vez em junho de 2019, quando a moeda ainda se chamava Libra. Não demorou muito para que a companhia fosse atingida por uma reação imediata de governos e grupos de consumidores ao redor do mundo que se preocupavam com o que aconteceria se um enorme monopólio de tecnologia como o Facebook competisse com as maiores moedas do mundo. O Facebook tem cerca de 2,8 bilhões de usuários ativos mensalmente.

A ideia do Facebook naquela época era lançar a moeda baseada em “blockchain” no início de 2020, o que não aconteceu depois que organizações parceiras, como PayPal e eBay, pularam fora do barco após a enxurrada de comentários negativos por parte de usuários e da imprensa.

Agora, a CNBC afirma que o Facebook está tomando medidas muito mais cautelosas para relançar a moeda, mesmo que os detalhes sobre como ela vai funcionar ainda sejam extremamente escassos. É isso o que sugere a emissora:

“A Diem Association, organização sem fins lucrativos sediada na Suíça que supervisiona seu desenvolvimento, tem como objetivo lançar um piloto com uma única stablecoin atrelada ao dólar dos EUA em 2021, segundo uma pessoa familiarizada com o assunto.

O informante, que preferiu se manter no anonimato já que os detalhes ainda não foram divulgados, disse que o piloto será em pequena escala, com foco principalmente nas transações entre consumidores individuais. Também pode haver uma opção para os usuários comprarem bens e produtos, acrescentou a fonte. No entanto, não há data confirmada para o lançamento e, portanto, tudo pode mudar.”

A Diem Association parece ser uma nova versão da Calibra Association, organização independente criada pelo Facebook para supervisionar a moeda digital da empresa e que tinha sido anunciada junto com a Libra.

Quando contatada para comentar a história da CNBC, a chefe de comunicações do Facebook para a Austrália, Antonia Sanda, disse ao Gizmodo por e-mail: “Agora enviamos todas as perguntas da imprensa diretamente para a organização Diem, uma vez que ela é separada do Facebook”. O Gizmodo US ainda não obteve respostas da Diem.

Governos em todo o mundo estão criando comitês e forças-tarefa para examinar os prós e contras de criar as próprias moedas digitais — países como China, Japão e Reino Unido já anunciaram planos de lançar criptomoedas oficiais.

Assine a newsletter do Gizmodo

A moeda digital do Facebook verá uma luz no fim do túnel depois de um começo bastante controverso? Só o tempo vai nos dizer. Mas você pode apostar que os reguladores de governos ficarão de olho nos planos do Facebook para o futuro do dinheiro, especialmente porque a maioria dos líderes mundiais acha que o CEO Mark Zuckerberg já tem muito poder. O congressista Brad Sherman até disse a Zuck em uma audiência, em julho de 2019, que sua nova moeda poderia causar o próximo 11 de setembro, referindo-se à possibilidade de que criminosos usassem a nova moeda para atividades ilegais.