O Facebook vai ampliar as políticas de trabalho remoto na esteira da pandemia do novo coronavírus. Nesta quinta-feira (21), o CEO Mark Zuckerberg disse que a empresa planeja aumentar “agressivamente” as contratações de trabalhadores remotos e começar a aceitar candidaturas para trabalho remoto permanente entre seus atuais 48 mil funcionários.

Segundo Zuckerberg, uma pesquisa interna da empresa constatou que 40% dos funcionários do Facebook estavam interessados em trabalhar remotamente por tempo indeterminado. Nos próximos cinco a dez anos, o Facebook pretende ter metade da empresa trabalhando em home office em tempo integral, disse ele em uma entrevista ao Verge.

“Vamos ser a empresa mais vanguardista em nossa escala a adotar trabalho remoto”, disse ele. Ele acrescentou que o Facebook vai abrir posições permanentes de trabalho remoto para os funcionários existentes “de forma ponderada” no final deste ano, priorizando trabalhadores experientes e, particularmente, engenheiros seniores.

No entanto, vários departamentos, como desenvolvimento de hardware, vendas e recrutamento, e os notórios moderadores de conteúdo do Facebook, permanecerão trabalhando nos escritórios da companhia, devido à natureza do seu trabalho.

Essa mudança para o trabalho remoto marca uma mudança e tanto para o Facebook, que até recentemente oferecia bônus de até US$ 15.000 para que funcionários se mudassem para mais perto da sede em Menlo Park – o bônus visava ajudar a compensar os altos custos de vida na região da Baía de San Francisco.

A notícia vem com uma importante ressalva, no entanto, na medida em que os funcionários que optarem por se mudar para áreas menos caras enfrentarão cortes salariais para refletir seu novo custo de vida.

“Isso significa que se você vive em um local onde o custo de vida é dramaticamente mais baixo, ou o custo da mão-de-obra é menor, então os salários tendem a ser um pouco mais baixos nesses locais”, disse Zuckerberg.

No início desta semana, várias empresas de tecnologia, incluindo Twitter e Shopify, anunciaram que permitirão que a maioria dos funcionários trabalhe remotamente, mesmo após a reabertura dos escritórios. Atualmente, 95% dos funcionários do Facebook estão trabalhando em casa, disse Zuckerberg, embora a empresa planeje iniciar a reabertura de escritórios com mais precauções de saúde em julho. Entre as precauções estão verificações obrigatórias de temperatura e uso de máscara, e a ocupação dos locais será limitada a 25% da capacidade normal.

Embora as companhias terem abraçado a ideia do home office abra oportunidades para as pessoas que podem não ter recursos financeiros ou capacidade de se mudar para um dos centros tecnológicos dos EUA, o Facebook também tem a ganhar.

Para ajudar neste fluxo de trabalhadores remotos permanentes a colaborar efetivamente, Zuckerberg disse que a empresa planeja acelerar o desenvolvimento de ferramentas de comunicação de próxima geração, particularmente aquelas que empregam a realidade virtual e a tecnologia de realidade aumentada.

“A outra coisa é que eu acho que isso nos ajudará a avançar um pouco da tecnologia futura em que estamos trabalhando em torno da presença remota, porque nós mesmos vamos usá-la constantemente”, disse ele ao Verge. “Neste momento, VR e AR faz parte de um grande grupo dentro da empresa, mas ainda está um pouco desconectado do trabalho que a maioria dos funcionários está fazendo no dia-a-dia. E eu acho que isso pode mudar isso mais cedo.”

O que, de certa forma, sempre foi o objetivo final do Facebook: mover toda a nossa interação da vida real para o mundo online. Embora antes dependesse mais de injetar muita grana em serviços online populares ou copiar recursos de sucesso de seus concorrentes para garantir uma base de usuários recorrente.

E, é claro, há também a evidente economia de uma menor pegada imobiliária, menos espaço de escritório para pagar, menos corpos nas poltronas, menos pessoas tomando café sem parar, etc. Zuckerberg disse que espera que isso seja compensado pela nova ênfase da empresa em “locais” regulares onde os funcionários remotos são convidados para reuniões no campus no Facebook.