Desde que a Apple anunciou mudanças quanto à privacidade dos aplicativos para iPhone, o Facebook vinha fazendo uma verdadeira campanha criticando as novas políticas que, entre suas principais características, exigem que todos os apps solicitem permissão para rastrear os usuários (caso o façam). A novidade chegou na semana passada com o iOS 14.5, e agora a rede social parece ter tomado uma medida drástica: lembrar os usuários de que aceitar os novos termos é necessário para manter a gratuidade da plataforma.

O tal alerta tem sido exibido nos apps do Facebook e do Instagram. Logo após baixar o iOS 14.5 no dispositivo e abrir as ferramentas já atualizadas com a última versão, o usuário se depara com o aviso “Você está no iOS 14.5”, destacando que “esta versão do iOS nos exige pedir  permissão de rastrear alguns dados deste dispositivo para aprimorar a exibição de anúncios”. Até aí, nada de novo — o Facebook já emitia esse tipo de alerta.

O problema maior vem na sequência, quando o aviso lista três tópicos sobre o rastreamento de dados. E é o segundo deles que mais chama atenção: “Ajudar o Facebook/Instagram a ser livre de cobranças”.

Imagem: Facebook/Divulgação

Eu não acho que isso signifique que as duas redes sociais serão pagas por conta desse tom ameaçador. Na verdade, deve ficar por isso mesmo: usar palavras mais rudes para que o usuário fique encurralado e não tenha como negar a atualização das diretrizes. Contudo, não seria nenhuma surpresa caso as plataformas passassem a cobrar algum tipo de taxa no futuro caso os donos de iPhone se recusem a aceitar os novos termos.

De novo: é pouco provável que isso aconteça, mas obviamente o Facebook não quer perder a capacidade de emitir anúncios personalizados para seus usuários. Até porque a publicidade é a principal fonte de receita da rede social de Mark Zuckerberg. Só que esse modelo pode ser prejudicado pelas novas diretrizes do iOS, uma vez que o Facebook terá de avisar o usuário toda vez que estiver rastreando sua atividade para gerar anúncios.

Essa nova politica da Apple se chama App Tracking Transparency (ATT) e começou a valer no último dia 26 de abril. Se o usuário, preocupado com sua privacidade, não quiser que um determinado aplicativo monitore sua atividade enquanto utiliza aquela ferramenta, ele agora tem uma opção no iOS 14.5 para interromper esse rastreamento. Logo, empresas como o Facebook, que dependem bastante de publicidade direcionada, poderiam ter o negócio afetado justamente porque o app não conseguiria monitorar os acessos do usuário dentro da plataforma.

Assine a newsletter do Gizmodo

Todos os desenvolvedores com aplicativos hospedados na App Store tiveram que se adequar às mudanças, e informar na descrição de seus respectivos apps quais dados do usuário estão sendo rastreados e/ou coletados. Quem não cumprir as novas regras terá o app retido, com possibilidade de banimento definitivo na loja da Apple.

[MacRumors]