O último resultado financeiro do Facebook mostrou que a companhia não foi afetada, pelo menos no bolso, pela confusão com a Cambridge Analytica, mas um documento registrado nessa semana na SEC (Comissão de Títulos e Câmbios do EUA) mostra que o Facebook espera encontrar mais abusos de uso de dados similares ao que gerado pelo escândalo da Cambridge Analytica.

Como o Facebook foi usado para amplificar os conflitos no Sri Lanka
Como descobrir se a Cambridge Analytica roubou seus dados do Facebook

No documento, a companhia reiterou a promessa de Mark Zuckerberg de investigar apps de terceiros que tiveram acesso a “grandes quantidades de informação” antes de 2014. O Facebook também admitiu que, durante o processo dessas investigações, espera encontrar mais casos de desenvolvedores que pegaram dados de usuários de forma imprudente.

“Prevemos que nossos investimentos contínuos em segurança e revisão de conteúdo vão identificar instâncias adicionais de mau uso de dados de usuários ou outros atividades indesejáveis por terceiros em nossa plataforma”, informou a companhia no documento.

O Facebook diz que espera que nos próximos meses anuncie “incidentes adicionais de mau uso de dados de usuário ou outras atividades indesejáveis” por desenvolvedores de apps de terceiros.

É claro que essas atividades não eram indesejáveis pelo Facebook naquele tempo! Embora a companhia tenha sido ágil em restringir a quantidade de informação que apps poderiam acessar em 2014, ela teve de fazer por causa de políticas anteriores que permitiam aos desenvolvedores reunirem uma quantidade significativa de dados, incluindo de amigos das pessoas que instalavam o app, sem que houvesse consentimento explícito.

O Facebook também levantou a possiblidade de que talvez a companhia não seja a primeira a saber desses casos passados de abuso, basicamente alertando seus investidores para ficarem espertos, no caso de a imprensa publicar algo sobre esses incidentes antes.
“Nós podemos ser notificados de tais incidentes ou atividades por meio da mídia ou outros meios”, informou o Facebook. A companhia notou que há uma longa lista de possíveis histórias negativas esperando para ser publicadas nos próximos meses e anos:

Tais incidentes e atividades podem incluir o uso de dados de usuário de uma maneira que não condiz com nossos termos ou políticas, a existência de contas indesejáveis ou falsas, interferência em eleição, compras inapropriadas de anúncios, atividades que ameaçam a segurança das pessoas online ou offline, ou ocorrências de spam, obtenção de dados ou disseminação de desinformação.

Tudo isso parece péssimo, não? Pior: é quase tudo que o Facebook já enfrentou antes. Ao mencionar esses problemas para a SEC, a empresa, de alguma forma, está reconhecendo que esses problemas foram muito comuns em determinado momento e que transgressões passadas vão continuar a prejudicar a companhia.

Não é justo exigir que as empresas sejam perfeitas, mas reconhecer erros é mais aceitável quando fica claro que a companhia está tentando fazer o melhor. O problema para o Facebook é que eles só começaram a ligar para isso quando já era muito tarde.

[The HillSEC]

Imagem do topo por Getty Images