Em breve, os usuários do Facebook terão mais controle sobre quem pode comentar suas postagens públicas, de acordo com um anúncio feito pela gigante das mídias sociais nesta quarta-feira (31).

Usuários poderão selecionar entre três opções para cada uma de suas postagens de notícias: se os comentários serão permitidos por todo o público; se apenas amigos poderão comentar; ou se os comentários estarão liberados apenas para perfis e páginas mencionados na postagem. Também será possível definir que ninguém comente em um post de uma página que você seja o administrador.

Permissão de comentários será liberada para todos os usuários e páginas. Imagem: Facebook

E por que o Facebook está adicionando essa funcionalidade? Na verdade, não sabemos ao certo. No entanto, a plataforma parece, de fato, querer dar mais controle sobre os usuários e seus perfis ou páginas, embora a realidade seja um pouco mais complicada.

A Suprema Corte australiana, por exemplo, decidiu recentemente que as organizações de notícias são legalmente responsáveis ​​pelos comentários deixados por usuários aleatórios em suas postagens. Isso não é um problema nos Estados Unidos, onde existem diferentes precedentes legais, mas pode se tornar uma pedra no sapato de empresas e influenciadores de outros países que possuem páginas no Facebook.

Esse é o caso da Austrália, que recorreu a métodos bem específicos para resistir a grandes companhias de tecnologia. O Facebook desligou temporariamente todas as notícias dentro da plataforma; o Google, por sua vez, ameaçou retirar seu mecanismo de busca do país. E mesmo que não tenha conseguido tudo o que queria, o governo australiano obteve concessões suficientes para fazer com que a ação valesse a pena, liderando muitos outros países interessados ​​em seu estilo de diplomacia empresarial de tecnologia.

Assine a newsletter do Gizmodo

O Facebook voltou a operar normalmente na Austrália, mas a empresa provavelmente entende que precisa fazer concessões especiais se não quiser enfrentar uma regulamentação mais rígida no futuro em todo o mundo. E, no caso de limitar os comentários, isso certamente deve diminuir o engajamento (a única métrica com a qual o Facebook realmente se preocupa), mas também deve reprimir coisas como assédio.

Não sabemos com certeza se o Facebook está adicionando essa função em resposta direta às recentes mudanças da Austrália, mas faria muito sentido. E seria sensato para empresas como o Facebook chegar à frente dos reguladores, mesmo que isso prejudique seus resultados financeiros.