Atualizado às 16h05 com detalhes sobre disponibilidade no Brasil

Na tentativa de deixar os algoritmos que regem o feed de notícias mais transparentes, o Facebook irá adicionar um menu que explicará por que você está vendo cada publicação. Além de explicar quais fatores fizeram aquele conteúdo aparecer no seu feed, o novo menu “Por que estou vendo esse post?” permitirá que você gerencie suas preferências e deixe de seguir pessoas ou páginas.

De acordo com o Facebook, a função começará a ser liberada em alguns países esta semana, incluindo o Brasil. De modo geral, o recurso estará disponível para todos ate meados de maio.

Além disso, será adicionado mais contexto no menu “Por que estou vendo esse anúncio?”, disponível desde 2014.

O menu poderá ser acessado ao tocar na seta que aparece ao lado de cada publicação. Junto com uma miniatura do post haverá itens como “você é amigo de fulano”, “você é membro de tal grupo”, “você costuma curtir mais os posts de fulano do que de outros amigos” e “este post é popular comparado com outros posts que você já viu”. Será possível decidir se você quer continuar vendo posts como esse e até revisar as suas interações recentes com aquele amigo específico.

Novo menu no Facebook mostra "Por que estou vendo esse post?"

Já no novo menu “Por que estou vendo esse anúncio?”, o Facebook irá dar detalhes sobre o direcionamento daquela publicidade. Até então, o menu já revelava se detalhes demográficos, interesses e visitas em sites tiveram algum papel para a exibição da peça. A partir de agora, será possível identificar se o anunciante possui uma base de dados com o seu e-mail ou telefone que foi utilizado dentro da plataforma do Facebook.

Novo menu no Facebook mostra "Por que estou vendo esse anúncio?"

Depois de diversos escândalos e pressão por mais transparência, essa é uma das ferramentas mais básicas que o Facebook pode oferecer para seus usuários. Recentemente, a companhia anunciou que não permitirá mais anúncios discriminatórios por raça, gênero e idade e proibiu nacionalismo e separatismo brancos em suas plataformas.