Aparentemente, o Facebook passou os últimos meses preparando um processo antitruste contra a Apple. De acordo com uma nova reportagem da Information, o Facebook vem montando com a ajuda de um advogado externo uma ação em que alega que as diretrizes da App Store da empresa representam abuso de mercado, porque os desenvolvedores terceirizados devem obedecer às regras da loja, coisa que não acontece com os apps da própria empresa.

Os planos do Facebook surgem na esteira de reclamações semelhantes da Epic Games depois de a Apple ter tirado o Fortnite da App Store. Se você não se lembra do caso, a Epic tentou vender por fora as moedas do jogo sem pagar a comissão da Apple, o que deu a maior confusão. O Information relata que não está claro se o Facebook vai prosseguir com seu processo, mas a contratação de um advogado externo e a análise da possibilidade de ação legal sugerem fortemente que as tensões entre as duas gigantes da tecnologia estão esquentando novamente.

Em junho, a Apple anunciou que planejava adicionar “rótulos nutricionais” aos aplicativos para explicar de modo mais claro como os dados das pessoas estavam sendo usados. Além disso, a empresa quer exigir que os desenvolvedores obtenham consentimento antes de usarem o sistemas de terceiros para rastreamento de dados. No entanto, depois que o Facebook reclamou que as mudanças da Apple poderiam destruir a receita gerada por sua rede de anúncios, a fabricante do iPhone decidiu adiar as medidas para “dar aos desenvolvedores tempo para fazer as alterações necessárias”.

O Facebook depende muito de sua Audience Network para receita de publicidade. Por isso, qualquer mudança nas diretrizes da App Store representa uma grande ameaça aos resultados financeiros da rede social. Não é difícil ver por que ela pode recorrer a uma ação judicial para evitar ou atrasar quaisquer mudanças futuras. Mas o Facebook também não está exatamente em posição de atirar pedras, devido aos seus próprios problemas antitruste.

Os planos da Apple de dar a seus usuários mais controle sobre sua privacidade significam que este conflito está longe de terminar. A política de obter consentimento dos usuários para rastreamento foi adiada, mas deve entrar em vigor ainda este ano.