Como o Facebook continua a procurar formas de ganhar dinheiro com a plataforma, a companhia anunciou nesta quarta-feira (2) um programa piloto que permite que administradores de grupo do Facebook possam cobrar uma assinatura mensal de membros do grupo.

Instagram quer usar vídeos verticais para atacar hegemonia do YouTube

O preço de assinatura vai custar entre US$ 5 (cerca de R$ 19) e US$ 30 (cerca de R$ 113). No entanto, o Facebook informou que essa funcionalidade só vai estar disponível para um “pequeno número” de grupos, incluindo o Organize My Home, da imagem que abre este post. O pagamento dessa mensalidade dará aos usuários acesso a conteúdos exclusivos, ajuda direta e conselhos do criador, ou mesmo insígnias e ícones por ser um membro especial.

A ideia por trás de pagar essas assinaturas é dar aos administradores de grupos maior controle ao monetizar o conteúdo. Atualmente, muitos criadores de conteúdo são forçados a criarem dois grupos separados — um para usuários que não pagam e outro para pagantes, enquanto utilizam sistemas de pagamento de terceiros, como o PayPal, para monitorar quem transferiu o dinheiro da assinatura.

Com a introdução de assinaturas, o Facebook diz que administradores do grupo poderão recolher a mensalidade por meio da própria rede social, e os membros do grupo poderão cancelar suas assinaturas a qualquer momento por meio do app para Android ou iOS (estranho que o Facebook não citou a versão para desktop). A rede diz ainda que, durante a fase de testes, não arrecadará, embora, caso dê certo, há grande chance que esse sistema seja expandido e que a companhia possa ganhar alguma porcentagem sobre as transações.

O sistema de assinatura do Facebook segue um esforço parecido com o que a rede tem feito com criadores de vídeo, com pagamentos mensais, um movimento que já é comum em plataformas como Twitch e Patreon. Para muitos, pagar pela associação a grupos é uma evolução natural do Facebook, à medida que a rede expande as opções de monetização, embora você, imagino, tenha que refletir quais conteúdos do Facebook são dignos de pagamento.