O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, que costumava se preocupar em manter um perfil público discreto até que os escândalos crescentes do ano passado o empurraram para os holofotes, compreensivelmente conta com um esquema de segurança bastante robusto. Como CEO de uma empresa com bilhões de usuários em todo o planeta, cuja boa parte não é lá muito chegada nele, ele supostamente conta com um orçamento anual de segurança de US$ 10 milhões que inclui guardas armados, sistemas de segurança elaborados, salas do pânico e mais.

Agora, de acordo com uma reportagem do Business Insider, os empregados dizem que Zuckerberg tem também um túnel de fuga.

Sim, uma sala de reuniões na sede do Facebook de Menlo Park, na Califórnia, perto de sua mesa, Zuckerberg teria uma espécie de buraco de toca ou “parapânico” levando a algum outro lugar. O Business Insider escreveu:

Os escritórios do Facebook estão construídos acima do estacionamento para funcionários, mas é impossível estacionar diretamente abaixo do escritório de Zuckerberg por causa de preocupações com o risco de carros-bomba.

Ele também tem acesso a uma grande sala de reuniões, com paredes de vidro no meio do espaço próximo à sua mesa, que conta com recursos como janelas resistentes a balas e um botão do pânico. Tem também um rumor constante entre funcionários do Facebook de que Zuckerberg tem um túnel de fuga pelo qual sua equipe pode evacuá-lo com pressa. A verdade em torno desse assunto segue obscura: uma fonte disse que havia sido informada sobre a existência de uma rota de saída ultrassecreta por meio do andar da sala de reuniões até a garagem do estacionamento, mas outras disseram não ter conhecimento disso. O Facebook se negou a comentar o assunto.

Se a sala de fato existir, a rota de fuga do Zuckerberg presumivelmente leva diretamente a um carro à sua espera — não fique imaginando nada à la Batman. Teoricamente, também poderia levar a um outro ponto de escape no campus do Facebook.

Será que ele se inspirou nos túneis de El Chapo? Captura de tela: CNN

Infelizmente, não temos informações sobre esse túnel ter ou não ares-condicionados e motocicletas prontas para saírem em disparada caso a Comissão Federal de Comércio dos EUA apareça na sede da empresa.

De acordo com o Business Insider, outras medidas implantadas por “membros da Guarda Pretoriana do Zuckerberg” incluem acompanhamento 24 horas por dia por parte dos seguranças, alguns dos quais se apresentando como funcionários do Facebook, sentados perto de sua mesa ou durante reuniões gerais da empresa. Como é o caso com muitos bilionários de alto escalão, os seguranças também o levam a todos os lugares a que ele vai e fazem varredura de locais procurando por ameaças de segurança em potencial antes que ele entre nos ambientes.

O custo de toda essa segurança supera de longe o que um outro bilionário gastava em 2007, quando a Forbes noticiou que o diretor da Oracle à época, Larry Ellison, liderava os gastos de proteção executiva com gastos em torno de US$ 1,8 milhão.

[Business Insider]