Em mais uma medida para tentar conter a desinformação, o Facebook anunciou que irá monitorar a identidade de pessoas com perfis muito populares na rede. O anúncio dessa novidade acontece no mesmo dia em que Trump assinou uma controversa ordem executiva que pode impactar as plataformas de mídias sociais.

Conforme o blog post do Facebook, a verificação de identidade começou em 2018. Naquela época, a verificação acontecia somente com pessoas que moderavam ou eram donas de páginas populares.



A partir de agora, a rede social quer fazer essa checagem entre pessoas que possuírem um padrão de “comportamento não autêntico” e cujos os posts “começam a se tornar virais muito rapidamente nos EUA”. Na prática, significa que os perfis populares também entram nesse esquema.

Se a pessoa escolher não verificar sua identidade ou o documento enviado para a rede social não bater com as informações da conta do Facebook, a distribuição do conteúdo será diminuída.

Além disso, se essa pessoa for administradora de alguma página no Facebook, precisará completar a autorização para publicar em páginas e não serão permitidas de fazer novos posts nessas páginas até completarem esse procedimento.

O Facebook diz que os documentos de identidade dessas pessoas serão “armazenados com segurança” e nada será compartilhado em seus perfis.