O site The Big Picture fez uma reportagem sobre robôs hoje em dia. Pela série de fotos, a diferença entre robôs humanoides e robôs, bem, úteis é bem clara.

Existem dois rumos que quem monta robôs pode seguir: tentar criar um robô que tenha aparência de humano, e que se mova como tal; ou criar robôs feitos para realizar determinadas tarefas. Os robôs usados pelo exército americano, por exemplo, são completamente utilitários. Mas ficariam ridículos num vestido de noiva.

Uma hora ou outra, acho que esses dois rumos vão convergir. Mas não consigo evitar pensar numa coisa: trabalhar duro para criar robôs que parecem gente parece algo bobo. Quem se importa se ele parece humano ou não? Por que não focar em tornar esses robôs o mais úteis possíveis, em vez de ficar bolando robôs bizarros que são pouco mais que manequins supercaros? [The Big Picture]