Uma era da rede mundial de computadores chegará ao fim no mês que vem: a Adobe oficialmente descontinuará sua plataforma multimídia Shockwave. Talvez você queria jogar uma última partida do seu game de navegador preferido, mas, mais do que qualquer coisa, você deve usar esse momento para excluir o Shockwave do seu computador de uma vez por todas.

A Adobe começou a notificar os clientes corporativos sobre o iminente desaparecimento da Shockwave por e-mail no mês passado. Ela publicou um aviso em seu site informando que a plataforma, usada para interfaces interativas e jogos, será descontinuada em 9 de abril de 2019.

A empresa disse que o surgimento de tecnologias como O HTML5 Canvas e o WebGL foram o motivo de sua decisão de encerrar o suporte ao Shockwave. Segundo a Adobe, este desligamento está sendo feito há anos.

No seu auge, o Shockwave foi usado por designers para criar páginas de abertura para websites, CD-ROMs interativos e jogos na web. Como seu software irmão, o Flash, foi desenvolvido pela Macromedia antes de a empresa ser adquirida pela Adobe em 2005. Ambos os aplicativos definiram uma era de interfaces animadas excessivamente complicadas e jogos simples e viciantes.

Nos últimos anos, os programas outrora onipresentes tornaram-se uma questão de segurança, já que as atualizações deixaram de ser prioridade. O player Shockwave para macOS já foi descontinuado em 2017 e não estará mais disponível para o Windows no próximo mês.

O Shockwave estava mais para TurboGrafx-16 do que para Super Nintendo, e a maior parte do conteúdo que foi feito para a plataforma provavelmente cairá na obscuridade. Sites especializados em jogos da Web gratuitos migraram para tecnologias mais recentes e é cada vez mais raro encontrar um drive de CD nos computadores mais novos.

Organizações como o Internet Archive certamente aumentarão seus esforços para preservar o que puderem da era do Shockwave, mas aquele período especial em que cada botão tinha um rollover animado e três sons distintos para interação com o mouse será amplamente esquecido pela nova geração.

A Adobe diz que continuará com o suporte Shockwave até 2022 para clientes corporativos que têm contratos. Qualquer outra pessoa pode simplesmente se antecipar e remover o aplicativo do computador. Em janeiro, pesquisadores de segurança da Avast descobriram que o Shockwave era o programa mais comumente desatualizado nos computadores dos usuários, de acordo com dados coletados pelo antivírus. Um software que não é constantemente atualizado apresenta um risco muito maior de possuir falhas de segurança que podem ser aproveitadas por agentes mal-intencionados.

[Adobe via Ghacks]