Uma das ações judiciais mais notáveis (e arriscadas) de Hollywood — Scarlett Johansson processando a Disney por conta da distribuição de Viúva Negra — teve um ponto final.

O processo, iniciado no final de julho, alegava que a plataforma de streaming onde a produção estreou (o Premiere Access da Disney+, que exige cobrança a parte dos usuário) violava o contrato de Johansson, que foi informada de que o filme iria ter lançamento exclusivo nos cinemas. Isso, supostamente, fez a atriz a perder dezenas de milhões de dólares.

A rixa ganhou manchetes pelo mundo. Até que a Disney decidiu resolver a disputa do contrato em uma reunião privada. E, aparentemente, todo mundo está feliz — pelo menos é o que parece, a partir das declarações dadas à imprensa.

Segundo o The Hollywood Reporter, Johansson declarou estar “feliz por ter resolvido as diferenças com a Disney. Estou muito orgulhosa do trabalho que fizemos juntos ao longo dos anos e apreciei muito minha relação criativa com a equipe. Estou ansiosa para continuar nossa parceria nos próximos anos.”

Caso você esteja se perguntando “Espere, ela vai trabalhar com a Disney de novo, por quê?” (especialmente depois que a empresa disse que ela tratou com “indiferença insensível” as circunstâncias em torno da pandemia de Covid-19 que levaram ao atraso e eventual lançamento em streaming da Viúva Negra, e revelou que ela declarou um salário menor do que os US$20 milhões que recebeu por Viúva Negra). O THR também tem uma citação do presidente da Disney Studios, Alan Bergman: “Estou muito feliz por termos chegado a um acordo mútuo com Scarlett Johansson em relação à Viúva Negra. Agradecemos suas contribuições para o Universo Cinematográfico Marvel e esperamos trabalhar juntos em uma série de projetos futuros, incluindo a Torre do Terror da Disney.”

Quase tínhamos esquecido que a atriz vai produzir e estrelar um longa baseado na Torre do Terror, popular atração do Parque da Disney. O brinquedo realiza uma queda livre em um elevador, e o passeio é narrado por uma voz como parecida com a de Rod Serling, apresentador do antigo The Twilight Zone (Além da Imaginação).

Assine a newsletter do Gizmodo

Certamente, aquele projeto não impediu que a Disney gastasse muito dinheiro na tarefa de manter uma estrela de cinema feliz. Como observa o THR, “os termos do acordo não foram divulgados” — mas, provavelmente, devem envolver muitos zeros. No entanto, talvez a empresa tenha procurado acalmar as coisas com Johansson, a única estrela (até agora) a processar por uma violação de contrato devido à mudança no cenário provocada pela pandemia, enquanto descobre como melhor abordar os lançamentos de filmes — incluindo a garantia de pagamentos justos para todos os envolvidos.