Os ursos pandas são conhecidos por sua aparência fofa e o tradicional hábito de comer bambu. Porém, estes animais foram onívoros no passado, caçando grandes quantidades de presas.

Existe a hipótese de que mudanças ambientais levaram a diminuição da oferta de alimentos, fazendo com que os pandas tivessem que mudar alguns hábitos. O aumento do consumo de plantas estava nesse pacote.

Consequentemente, os animais ganharam um sexto dedo semelhante a um polegar, que parece ser primordial na hora de segurar e esmagar hastes de bambu — seu menu favorito. Esse membro extra é chamado de sesamoide radial. Ele é conhecido por cientistas há pelo menos 100 anos, embora não esteja claro o momento exato em que ele foi incorporado na evolução. 

Um estudo feito por pesquisadores da Universidade Estadual do Arizona, nos EUA, parece estar prestes a solucionar a questão. Os cientistas encontraram fósseis de um panda antigo na cidade de Zhaotong, na China, que possui o polegar falso. 

De acordo com o artigo publicado na revista Scientific Reports, os ossos têm entre 6 e 7 milhões de anos e pertencem a um parente extinto do panda, conhecido como “ailurarctos”. O polegar não aponta apenas para o mais antigo já descoberto, mas representa também o maior já visto em qualquer animal. 

Enquanto isso, o fóssil de polegar moderno mais antigo de que se tem notícia data de 100 mil anos atrás. Comparando os dois, é possível notar as mudanças: o osso era maior no passado, mas provavelmente diminuiu devido a necessidade dos pandas de caminhar sobre quatro patas.

Além disso, os animais modernos possuem um gancho na ponta do polegar, que parece ajudá-los a agarrar o bambu. Para ter uma ideia, os ursos consomem 40 quilos dessa planta por dia, optando raramente pelo gosto de um animal menor.